quinta-feira, 25 de abril de 2019

Compartilhe

Muito se especula a respeito das primeiras escolhas do round. Isso porque, teoricamente, é de onde saem os melhores jogadores do draft. No entanto, as escolhas de meio do round também têm seu valor, uma vez que grandes prospectos acabam chegando nelas, ora por motivos ruins ora por sorte dos times que estão ali estacionados.

Estar no meio do round te abre um leque grande de possibilidades a se fazer, todas de excelente valor. Uma troca para cima se estiver vendo que um jogador muito bom não está sendo selecionado, e essa troca pode ser feita sem um gasto muito elevado, já que não há tanta distância entre as escolhas; Uma troca para baixo quando se observa que o seu alvo não deverá ser selecionado tão cedo – ainda que seja extremamente improvável prever um board de um GM da NFL. Dessa forma, acumula-se mais escolhas em outros rounds, além do prospecto que já era pretendido e; selecionar um jovem que chegou ali por circunstâncias diversas: seja por alguma redflag exposta, alguma notícia sobre o jogador ou até mesmo por motivos que não são explicáveis.

Leia Mais: E se?

Leia Mais: Guia do Draft Liga dos 32

Todo analista de draft certamente faz seu board, sobretudo ponderando os jogadores do primeiro round. Quando uma franquia consegue selecionar um jogador que deveria ter saído escolhas antes, até mesmo no top 10, essa pick é considerada um steal. No primeiro round, não há lugar melhor para se conseguir steals do que no meio do round. Contudo, também é o melhor lugar para perdê-los.

Um dos grandes exemplos da queda de um prospecto é o do OT Laremy Tunsil. O ex jogador de Ole Miss teve um vídeo vazado momentos antes do draft de 2016 em que aparecia utilizando substâncias ilícitas. Tunsil era tido, para muitos, como o melhor jogador geral daquele draft, com inúmeros mocks colocando-o como a possível primeira escolha para o Tennessee Titans – antes da troca com o Rams. Após o vazamento do vídeo, o linha ofensiva foi caindo vertiginosamente, e dois OTs foram escolhidos antes dele (Ronnie Stanley pelo Ravens e Jack Conklin pelo Titans), mostrando o impacto que esse vídeo trouxe: um jogador que por hora era o melhor geral do draft teve dois jogadores de sua posição sendo escolhidos primeiro. Por fim, na escolha 13, o Miami Dolphins ignorou essa questão e aproveitou o fato de um talento top 3 estar disponível tão longe e selecionou Tunsil. Hoje, Laremy é o Left Tackle titular do time da Flórida.

Resultado de imagem para draft 1200x800 laremy tunsil

Em 2017 foi a vez do Tampa Bay Buccaneers se dar bem nessa história de meio de round. O.J. Howard era consensualmente o melhor TE daquela classe e era sempre visto no top 10 dos mocks, visto que era um talento muito grande e raro para a posição por bloquear e receber muito bem. Só que por razões inexplicáveis, o ex Alabama foi caindo e ninguém o selecionava, dando até a entender que algo sobre ele havia sido descoberto como fora com Tunsil. A realidade é que o Bucs aproveitou a chance e não pensou duas vezes em selecionar o melhor jogador disponível na escolha 19, ainda que já tivessem em Cameron Brate um jogador confiável na posição. Howard sofreu com lesões em suas temporadas em Tampa Bay, mas quando esteve em campo mostrou o porque do Buccaneers não ter errado em selecioná-lo pela oportunidade que tiveram.

Resultado de imagem para draft 1200x800 oj howard pick

Uma menção honrosa nesse draft vai para Malik Hooker. O Safety que para muitos também era jogador top10 do draft – quiçá top5 – caiu até a escolha 15 para o Colts.

No último draft, o primeiro nome que vem à mente ao falar de steal do primeiro round é certamente Derwin James. Era incomum observar qualquer análise que o colocava fora do top 10/12. Novamente, não há explicação de como times não o selecionaram e ele acabou caindo no colo do Chargers na escolha 17, sendo Safety uma das poucas needs daquele time e aparecendo como o melhor jogador disponível. Foi um encontro perfeito. Assim, o resultado foi visto em sua temporada de calouro: pro bowler e selecionado para 1st team all pro, que o coloca, dessa maneira, como considerado o melhor SS da última temporada.

Portanto, algo se conclui: apesar do draft ser um tanto quanto imprevisível, a única certeza é que steals vão acontecer. E não há melhor lugar para aproveitar essas escolhas que no meio do round.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.