quinta-feira, 26 de março de 2020

Compartilhe

Com o mundo em estado de alerta máximo devido ao risco de propagação do COVID-19, um dos eventos mais importantes da intertemporada da NFL (o mais importante, eu diria) tomará parte daqui um mês em Las Vegas, estado de Nevada: O Draft. O recrutamento anual universitário em que os novos candidatos à face das franquias conhecerão seu destino ao menos para os próximos anos, e as equipes terão uma injeção de talento e juventude para voltarem, alçarem ou continuarem seu domínio para os anos posteriores.

Isto é, se o evento realmente for acontecer.

A NFL, por meio da figura de seu porta-voz Brian McCarthy parece irredutível frente à qualquer alteração de calendário, ao menos neste momento, devido ao vírus que assombra o mundo. Muita coisa pode acontecer até o final de Abril, mas é fato é que tal situação acontece pois a liga não parece sentir que o vírus irá alterar seu calendário de temporada regular – marcado para o início de Setembro, e segue todos os eventos posteriores à isto em sua data normal, a começar pelo Draft, passando pelo mini-camp com os calouros, depois com os veteranos até finalmente o training camp lá em Agosto.

Leia Mais: A encruzilhada do New England Patriots

Leia Também: O futuro dos running backs da NFL

Quando saiu a notícia que o recrutamento ia tomar parte na “Cidade do Pecado”, começaram a surgir inúmeras atrações especiais para a noite, com toda a certeza o ponto principal dos longos meses sem a bola oval voar na temporada regular. Espetáculos com golfinhos, caminhadas sobre uma passarela nos imponentes cassinos e todo o frenesi que reina sobre a cidade que nunca dorme: era o jeito encontrado de introduzir Las Vegas ao cenário da NFL, já que o Raiders começará a atuar por lá em 2020. É realmente uma pena que nada disto vá acontecer e que o evento sequer terá a presença de público por conta do risco de propagação, já que será algo parecido com o que acontecia antigamente, sem toda a pompa que o evento acrescentou a si nos últimos anos, com as equipes fazendo e anunciando suas escolhas dos próprios quarteis-generais.

Mas, como o título sugere, vou me prender à questão técnica do evento:

Os times terão todo o material necessário para fazer escolhas satisfatórias?

Um subcomitê de GMs da NFL votou em seis contra um por uma recomendação de adiamento do Draft, citando a inabilidade das equipes em reunir o máximo de informações possíveis sobre os prospectos (como normalmente é feito), já que vários times começaram a cancelar visitas à jovens atletas em meio à difusão do vírus pelo território americano. A NFL respondeu tal solicitação ordenando o fechamento de todas as facilidades das equipes até 8 de Abril, citando o fato que todas as 32 equipes seriam tratadas de maneira igual nesta situação, ou seja, seriam prejudicadas no estudo aos prospectos.

Que todas as equipes estarão menos preparadas para o Draft deste ano é óbvio, mas o ato de ordenar que todos parem suas atividades em grupo (como normalmente são feitas) denota que a liga simplesmente não parece muito preocupada com isto.

Não me entenda mal, jamais criticaria a escolha em colocar a saúde de seres humanos em primeiro lugar, muito pelo contrário, mas o pulso firme em sequer repensar uma solução neste caso me causa certa insatisfação.

Haverão escolhas equivocadas nesta situação do mesmo modo que haveriam caso os olheiros estudassem os atletas por anos, isto é um fato. Jogadores serão e seriam escolhidos antes do ideal, atletas de risco colocarão o ambiente do vestiário em xeque devido ao seu temperamento forte e equipes selecionarão verdadeiros diamantes nas rodadas posteriores, mas tal falta de conhecimento sobre os jovens adiciona um caráter de imprevisibilidade maior que normalmente é visto nesta situação e, numa perspectiva geral, irá adicionar mais drama no mês que vem e parece que a NFL está se prendendo à isto para tornar o espetáculo em algo impossível de ser evitado.

Claro, o fato do Draft ser basicamente o mais perto de um evento esportivo em um período que nós amantes do esporte somos desolados em meio à tantos cancelamentos torna o Draft mesmo sem espetáculo, sem golfinhos e sem pessoas já é o principal evento que acontecerá nos EUA nas próximas semanas e baterá recordes de audiência.

Há uma linha de pessoas que defendem que o atleta universitário, necessariamente removido por dois anos do colegial atuando na temporada regular, mais todo o processo que envolve os testes fora de campo dentro do Combine da NFL já representam um material mais que suficiente para as equipes fazerem boas escolhas e assim construírem um futuro promissor para as suas franquias. Pessoalmente eu até concordo com isso, mas o grande fato é que o trabalho dos olheiros foi brutalmente diminuído com relação ao que é feito normalmente e as pessoas que comandam este esporte que tanto amamos parecem não estar muito preocupadas com isto, apenas com o caráter de espetáculo que esta noite se tornou.

O recado já foi passado pela NFL: “seguiremos normalmente com nosso calendário, façam seus olheiros valerem o que ganham”. Se é certo ou não, cada um tem sua opinião.

E a sua, qual é?


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.