quarta-feira, 29 de maio de 2019

Compartilhe

Eu tenho certeza que ao se deparar com o título desse texto, você imaginou uma carga negativa ao vir conferi-lo por aqui. Isso se deve ao fato das decisões controversas do Head Coach da equipe. No entanto, se você analisar, existem dois significados para o “explodir” nessa frase. O óbvio, negativo, mas também existe o positivo. Assim, hoje iremos tratar das decisões de Jon Gruden no comando do Raiders e como elas podem criar uma explosão, positiva ou negativa, para a franquia daqui pra frente.

Como acompanhamos em 2018, Jon Gruden foi responsável por muitas polêmicas ao longo da temporada. Declarações como as de querer voltar para 1998, a troca de Khalil Mack, farpas com Derek Carr, e por fim, a troca de Amari Cooper. Isso tudo em torno de uma mentalidade de montar o próprio vestiário, com jogadores jovens que atendessem aos desejos do treinador. Porém, existia uma expectativa de um certo rebuild no elenco, uma vez que os resultados da última temporada estiveram longe de agradar a torcida, além da clara noção de um elenco enfraquecido frente aos rivais e número de picks. Mesmo assim, Jon Gruden pensa diferente. Contratou Mike Mayock, ex-analista da NFL Network, e começou a fazer movimentos que indicassem uma tentativa de acelerar o processo de reconstrução. O mais destacado deles? A troca por Antonio Brown, além de outros nomes via Free Agency.

Vamos começar pelo camisa 84 ex Steelers. Um time que busca se reconstruir não faz uma contratação desse porte. Jon Gruden pensa grande, tem uma mentalidade diferente dos tempos atuais, e isso pode ser bom ou ruim para o futuro da equipe. Ao acelerar esse processo, algumas etapas que podem ser dolorosas para a torcida acabam sendo antecipadas. Se vão funcionar como nos meios convencionais? Só o tempo poderá dizer. A questão aqui é que Gruden pensa que pode vencer já em 2019. Trent Brown, Tyrell Williams, Lamarcus Joyner… Todos esses são nomes de peso que tornam a equipe, querendo ou não, em um elenco capacitado para vencer.

Basicamente toda a minha argumentação construída ao longo desse texto vem tendo um caráter positivo para Jon Gruden, mas eu comecei o texto dando um lado “óbvio” negativo no sentido da explosão no título. Por que isso acontece? Bom… Como eu disse mais cedo, Jon Gruden pensa grande. Diria até que tem uma cabeça megalomaníaca. Quer vencer, se vê como capacitado e vai dar o seu jeito para superar os obstáculos que o separam dos seus objetivos. Para isso, ele conta com atletas de caráter duvidoso e muitas vezes mal vistos fora das sidelines. E que jogadores são esses? O próprio Antonio Brown por exemplo. Desde o final da temporada passada se tornou um show de anti-profissionalismo quando se recusou a jogar na semana 17, fez um escândalo para ser trocado e vem trocando farpas pelas redes sociais, em especial com o ex companheiro de time, Juju Smith-Schuster.

Como se não bastasse, Jon Gruden trouxe Vontaze Burfict para o elenco. Quem é ele? Bom, além de um jogador conhecido por ser “sujo” dentro de campo com hits desnecessários e pancadas a fim de lesionar os adversários, foi ele quem teve uma treta forte com o AB em 2016 após dar um hit no WR que causou uma concussão e o deixou de fora da partida seguinte nos playoffs. LB e WR já trataram de apaziguar a situação, mas convenhamos, algo desnecessário para qualquer vestiário.

Já na tarde de ontem, para fechar o caixão, pelo menos por enquanto, o Raiders confirmou a contratação de Richie Incognito. Muitos podem não lembrar, mas quando o Guard jogava no Dolphins, se envolveu em um escândalo de bullyng entre os jogadores do elenco. Pouco tempo depois, postou fotos de armas e ameaças em suas redes sociais. Em 2017 se aposentou e teve acompanhamento psicológico para resolver seus problemas, e agora em 2019, após ficar 2018 parado, resolveu voltar. E qual o vestiário que ele encontra? Um completamente potencializado e com grandes chances de explodir.

Sabemos que tudo isso está no campo da especulação, e é justamente nisso que eu me apoio ao escrever esse texto. Existe uma grande chance de tudo isso dar errado. São muitas variáveis e apenas uma delas precisa acontecer para todo resto desandar. No entanto, ela também pode dar certo.

Como já citei algumas vezes mais cedo, Jon Gruden tem um pensamento megalomaníaco. Vamos imaginar um começo positivo de temporada para a franquia. A estreia é contra o Broncos em casa, um jogo perfeitamente vencível. 1-0 contra um rival. Semana 2? Kansas City, também em casa. A equipe de Mahomes pode ter problemas no início da temporada com a falta de peças para o ataque. Tyrek Hill provavelmente estará suspenso e hoje não tem ninguém que o substitua à altura. Imagine só, 2-0 contra dois rivais. O elenco compra a ideia do seu treinador, entra numa espiral positiva e caminha forte rumo aos playoffs. Você duvida? Eu não.

Novamente, estamos apenas no mundo das ideias. Assim como a equipe pode começar 2-0 contra seus rivais, também pode começar 0-2, colocando toda temporada a perder e quebrando a confiança do elenco e de seus veteranos. Individualidades começam a aparecer e o vestiário racha por completo. Perfeitamente possível também! E é por isso que o Oakland Raiders está longe de ser um time mediano em 2019. Eu acredito numa explosão completa para a franquia. Nada de meio termo. Algo como um 12-4 ou 3-13 me parece muito mais real do que um 8-8. A mediocridade passa longe desse elenco. O que vimos por exemplo da diretoria do Bengals em aceitar por anos seguidos com conformismo a falta de ambição do elenco não irá acontecer com o Raiders em 2019. Você pode gostar, pode não gostar, mas é o caminho que o time escolheu. Essa é uma das histórias mais esperadas da temporada, e tomara que o resultado esteja à altura da nossa expectativa.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.