quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Compartilhe

Ultimamente, a grande discussão no mundo do futebol americano gira em torno do seguinte questionamento: “quem foi o melhor QB de todos os tempos?”. Através de um levantamento inédito, vamos fazer uma comparação envolvendo a média de toda a carreira de 5 grandes quarterbacks de diferentes gerações em cinco estatísticas previamente definidas (% de passes completos, jardas aéreas, touchdowns, interceptações e jardas por tentativa de passe). Com esses números em mãos, iremos comparar com a média de todos os outros quarterbacks que atuaram no mesmo período que aquele em análise. Por exemplo, pegaremos a média de touchdowns de Johnny Unitas e a média de touchdowns dos QBs que atuaram de 1956 a 1973, quando o consagrado jogador do Baltimore Colts fez história.

Seria bizarro comparar o número de TDs de Johnny Unitas com Dan Marino, como você deve perceber. Era outro jogo, outra época, impossível medir os dois diretamente. Mas se colocarmos Unitas frente a frente com os QBs de sua época e Marino contra os da sua, podemos extrair a % do quanto cada um deles foi acima da média no seu tempo. O melhor quarterback de todos os tempos para efeitos dessa matéria especificamente será aquele que foi mais diferenciado, mais à frente do seu tempo que os outros listados. Detalhe, todos os quarterbacks selecionados para essa análise são alguns dos melhores da história.

Vale ressaltar que apesar de ser um excelente indicativo do quão gigante cada uma dessas lendas aqui analisadas foram, a definição de quem foi melhor passa por gosto pessoal, estilo de jogo e outros quesitos de caráter subjetivo. Obviamente, aqui são expostas estatísticas avançadas no sentido de não serem apenas números sem o menor critério para criar um debate. São números que representam as médias das carreiras completas desses quarterbacks colocados diante das médias dos outros quarterbacks que atuaram no mesmo período que cada um deles.

Johnny Unitas (1956 a 1973), Joe Montana (1979 a 1994), Dan Marino (1983 a 1999), Peyton Manning (1998 a 2015) e Tom Brady (2000 – atualmente) serão os envolvidos na “disputa”. Aaron Rodgers, Drew Brees etc não estão listados porque Brady e Manning já representam adequadamente essa geração. Rodgers, no caso, teria apenas 8 temporadas que entram nos critérios de seleção, muito aquém dos demais. Todas as temporadas dos 5 QBs foram levadas em consideração, exceto aquelas em que atuaram em menos de 12 jogos – a temporada de 1982 teve 9 jogos ao todo devido a uma greve, mas mesmo assim entrou porque o que conta é a média e se todos os outros quarterbacks jogaram 9 jogos também, segue equilibrado.

O objetivo não é afirmar que X foi melhor que Y, mas tão somente fazer a um comparativo em que se possa ver o quanto cada um deles conseguiu ser superior à sua própria geração. Quem foi mais à frente do seu tempo?

No quadro abaixo, veja a média de toda a carreira de cada um dos quarterbacks nas cinco estatísticas levantadas:

*entre parênteses as médias dos QBs que jogaram nos mesmos anos que eles

É bem claro o quanto o futebol americano mudou e evoluiu desde que Johnny Unitas entrou em campo pela última vez. Ele tem uma média de 2.283 jardas na carreira contra 4.355 de Peyton Manning. Achar que é possível comparar diretamente jogadores de eras tão distintas beira o ridículo. Iremos fazer isso, como dito, com base nas médias da carreira do jogador vs média dos quarterbacks de sua época. O quanto eles foram superiores aos demais de sua geração?

Vejamos no gráfico abaixo o quanto cada quarterback foi superior àqueles da sua própria época. O quanto (em %) a média deles foi melhor que a média dos que jogaram no mesmo período:

Apenas dois quarterbacks venceram pelo menos uma das estatísticas: Joe Montana e Peyton Manning. O lendário QB do San Francisco 49ers foi mais superior à sua geração que os demais analisados aqui em duas das cinco estatísticas – % de passes completos e maior % de redução de interceptações. Isso deixa claro o quanto Montana era eficiente e preciso, bem como conseguia cuidar muito bem da bola. Uma confirmação de uma percepção geral sobre esse jogador. Já Peyton Manning domina as outras três estatísticas, liderando a diferença de média entre ele e sua geração no número de jardas aéreas, touchdowns e jardas por tentativa de passe. Manning foi o único a alcançar a marca de pelo menos 50% em qualquer uma das médias que servem como diferenciais. E fez isso logo na de touchdowns, com 50,4% de TDs a mais (em média) que todos os demais QBs de sua geração. Isso é algo monstruoso.

Jardas por tentativa é a estatística mais importante para medir um quarterback. Quantas jardas ele consegue por passe? Com que consistência ele move a bola nas partidas? Peyton Manning liderou aqui também, com Joe Montana em segundo lugar. O melhor quarterback de todos os tempos levando em conta essa medição por “era” de cada jogador coroa Peyton Manning como tal. Ele foi o QB mais à frente do seu tempo de acordo com esse levantamento. Joe Montana ficou em segundo, tendo vencido duas das cinco estatísticas médias. Repetimos, as médias aqui descritas representam um aferidor considerável, mas não tem a pretensão de serem donas da verdade. Mais um estudo no meio desse eterno e caloroso debate. O importante é curtir a NFL e cada um de seus inesquecíveis e lendários jogadores.

Abaixo, confira a imagem com os 3 primeiros colocados em cada quesito:

Segue o levantamento completo através de gráficos interativos para uma melhor visualização dos números dos cinco QBs “concorrentes”:

 

Compartilhe

Comments are closed.