segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Compartilhe

New Orleans Saints e Los Angeles Rams entraram em campo neste domingo (15) para um dos jogos mais esperados da semana 2 da NFL. Além de representar um confronto entre dois favoritos ao título da NFC nesta temporada, o jogo colocou frente a frente as duas equipes que decidiram a conferência no campeonato passado, em duelo marcado por erro de arbitragem e muita reclamação por parte de New Orleans. Incentivado pelo sentimento de vingança, o Saints entrou em campo disposto a surpreender o rival, mas uma lesão logo no 1º tempo tirou o QB Drew Brees do jogo e abriu o caminho para vitória de LA por 27 x 9. O problema do jogador veterano deve tirá-lo de ação por pelo menos seis semanas e o destino do Saints e da NFC pode ter sofrido uma grande mudança com essa notícia.

A lesão de Brees aconteceu de forma acidental, após o QB lançar uma bola na direção do TE Jared Cook e acertar a sua mão direita na mão do DT Aaron Donald, do Rams.  Depois do lance, o jogador não retornou mais ao campo de jogo, embora tenha permanecido durante toda a partida na sideline e com a mão enfaixada, tentando voltar a partida. Para avaliar a gravidade da lesão, o QB permaneceu em LA após o jogo e realizou exames que confirmaram um problema de ligamento no dedo polegar, situação que forçará o o jogador a realizar uma cirurgia e o deixará de molho por pelo menos seis semanas. Ainda há a possibilidade do Saints colocá-lo na lista de contundidos com designação para retorno, o que o deixaria afastado até a semana 10, no mínimo.

Leia Mais: o Chicago Bears não vai a lugar algum com Trubisky

Leia Também: Conheça as habilidades Superstars defensivas do Madden 20

A situação não é nada comum para o Saints e também para a NFC. Em toda a sua carreira na franquia de New Orleans, Brees perdeu jogos de temporada regular apenas três vezes e não mais do que 1 vez por ano. Agora, o jogador ficará afastado em um momento importante da competição, em que o Saints precisa somar vitórias para colocar o QB em uma situação mais confortável em seu retorno no final do ano. O calendário reserva jogos complicados para o time, principalmente nas próximas duas semanas, em que os invictos Seahawks e Cowboys serão os oponentes. Na sequência, a equipe enfrenta o Bucs, Jaguars e Bears – Os dos últimos fora de casa –  e atua contra o Cardinals antes da semana de folga. Na volta, em partida válida pela semana 10, o adversário é o rival de divisão Atlanta Falcons.

Sem a presença do seu QB titular em campo pelas próximas rodadas, o New Orleans Saints contará com Teddy Bridgewater na posição titular. Escolhido pelo Minnesota Vikings no draft, o camisa 5 teve uma temporada de estreia na NFL acima da média, mas uma série lesão de ligamento o tirou de ação por mais de ano e encerrou prematuramente a sua passagem pelo time da NFC Norte. Após passagem apagada pelo Jets, ele decidiu continuar a sua carreira como reserva imediato de Brees, ignorando outras propostas que o colocariam em melhor situação para atuar constantemente como titular. Agora, Teddy terá a missão de manter o Saints competitivo e na briga pela 1ª posição geral de uma conferência conhecida pelo equilíbrio.

O QUE ESPERAR DE BRIDGEWATER E DA NFC?

O cartão de visitas neste domingo, porém, não foi nada bom. O jogador terminou o confronto com 165 jardas, 17 passes completos e nenhum TD, sendo uma presa fácil para a forte defesa do Rams. Apesar disso, o cenário não era favorável para o QB, que agora terá uma semana completa para treinar com o time titular e melhorar o seu entrosamento antes do duelo contra o Seahawks, em casa, válido pela semana 3. Com a mudança inesperada, o Saints terá que adaptar o seu estilo de jogo a ausência de Brees, dando mais enfase ao jogo corrido com Alvin Kamara. Outro setor que deve ganhar importância é a defesa, que precisará segurar seus rivais a um número mais baixo de pontos para que Bridgewater não precise atuar constantemente atrás do placar em vários momentos das partidas.

Para o restante da NFC, a chance é uma daquelas que não podem ser desperdiçadas. Dominante em toda a sua carreira, Brees nunca esteve tanto tempo fora de campo pelo Saints, o que deve tornar a conferência ainda mais equilibrada. Neste início de temporada, times como Packers, Seahawks, Cowboys e Rams já começaram o ano com 2 vitórias seguidas e agora não terão o Saints como um dos principais rivais pela 1ª posição geral. Já para os times emergentes como 49ers, Bucs e Falcons, as chances também são boas na busca por uma vaga na repescagem, vendo um dos principais rivais nessa busca enfraquecidos por diversas semanas. Embora a notícia da ausência de Brees seja um duro golpe para quem gosta de acompanhar a NFL, ela pode tornar a liga ainda mais equilibrada e imprevisível. Vamos esperar os próximos capítulos.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.