segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Compartilhe

32 por 32 - L32

É uma bela hora para começar uma coluna sobre a NFL. A temporada regular se encerrou ontem e, depois de muita bola oval sobrevoar os gramados da liga, tivemos a chance de assistir grandes jogos. Teve espaço para jogo ruim também, para as lavadas no horário nobre, para as surpresas – e onde tem lugar para surpresa, cabem as decepções – enfim, uma montanha russa de emoções como só uma boa temporada de futebol americano pode nos dar.

Tarefa inglória é tentar prever o futuro. Não tentarei isso aqui. Por ora, vamos lembrar dos grandes acontecimentos da temporada 2014 da NFL nessa primeira parte e, em seguida, apontarei o que você deve esperar ver nos playoffs. Não há nada como os playoffs da NFL! Quem está preparado? É teste para cardíaco, amig…não. Galvão aqui não.

Olhando para trás, já dá para sentir saudade daquele início de setembro, quando tudo começa e, após longos e tenebrosos 7 meses, a espera acaba e a vida fica mais legal: A NFL chega para todos nós. Já antecipo que é impossível esgotar tudo o que aconteceu na temporada em uma só coluna, então fiquem à vontade para escrever suas lembranças nos comentários.

Bom, nada mais lógico que começar com o primeiro jogo da temporada. Quem lembra qual foi o jogo inaugural? É um jogo sintomático. Claro exemplo de como a NFL muda tão rápido de semana a semana, de como é um esporte tão dinâmico. O jogo a que me refiro foi um Packers 16 x 36 Seahawks, em um longíquo – e tão aguardado o ano todo – 4 de setembro de 2014. Em Green Bay, o pensamento era um só: O Packers não tem força para ser contender esse ano. Já em Seattle, a empolgação era visível. O atual campeão do Super Bowl vinha tão ou mais forte que no ano anterior. Será mesmo? O tempo disse não às duas afirmações. Packers é claramente um contender, é time para disputar Super Bowl sim. E o Seahawks? Não é mais forte que o do ano passado, perdeu peças fundamentais, oscilou durante o ano, mas quer saber? Cresceu na hora certa. O que não desmente o fato de que aquele primeiro jogo enganou um pouco as duas torcidas.

Por mais que futebol americano seja um jogo onde normalmente ambos os times marcam pontos, houve oportunidade em que Jets, Giants, Redskins, Bengals e Chargers não conseguiram marcar um ponto sequer no jogo. E empate na NFL, existe ou é lenda? Claro que existe. E 2014 trouxe isso também! Panthers 37 x Bengals 37, na semana 6. Agora, semana louca para enganar a todos os analistas foi a 8. No Sunday Night Football, o Packers foi batido pelo Saints por 44 x 23 e no Monday Night Football, o Redskins derrotou o Cowboys por 20 x 17. Quem preveu essa?

Nenhuma temporada é perfeita e, especialmente a desse ano, resultados extravagantes, vitórias fáceis em pleno horário nobre deixaram um gostinho de “faltou um pouco de emoção aqui”. Bucs 14 x 56 Falcons, em uma quinta, na semana 3, ilustra bem isso. Mas não parou por aí. Na semana seguinte, vimos o Giants aplicar 45 a 14 sobre o Redskins; no MNF dessa mesma semana, o Chiefs deu uma surra no Patriots (41 x 14), um jogo que mudaria o destino de New England, já que o time melhorou consideravelmente logo na semana 5 para descontar no Bengals, em um SNF que era muito aguardado e que previa-se um jogo muito disputado. Terminou 43 x 14 para NE. Já o Giants conseguiu entrar na lista das goleadas também, mas perdendo. E de zero. SNF vs Eagles, jogo de muita rivalidade, mas zero de emoção e de pontos para o time de Nova York (27 x 00).

Nem só de goleadas vive uma temporada da NFL. Os jogos emocionantes, os grandes jogos que fazem valer a pena aguardar tanto por 17 míseras semanas de temporada regular se fizeram presentes.

É bom demais esperar por um jogo de qualidade entre dois grandes times e a expectativa se transformar em realidade. Melhor ainda é não esperar absolutamente nada de uma partida e ela ser absolutamente fantástica. O grande exemplo, sem qualquer dúvida, foi Raiders contra o Chiefs, em um Thursday Night Football. Ninguém dava nada por esse jogo, era o patinho feio da semana, todos antecipavam um show de horror. Veio uma vitória emocionante de um dos piores times da NFL. Um jogo que nos faz amar ainda mais o esporte, vendo a emoção dos jogadores se abraçando, emocionados por conseguir a sua primeira vitória e comemorarando com a torcida. Assistir o QB Derek Carr declarar que poderia finalmente ver como é o sorriso dos seus companheiros é sensacional.

Outros jogos merecem menção: Dolphins 36 x 39 Broncos, Chargers 34 x 33 Ravens, Eagles 20 x 24 Cardinals, 49ers 27 x 24 Saints, Packers 27 x 24 Dolphins, Broncos 20 x 26 Seahawks na reedição do último Super Bowl, Eagles 30 x 27 Colts, dentre diversos outros.

Não tem como relembrar essa temporada sem falar da recepção espetacular, histórica, impossível do WR Odell Beckham Jr, do Giants. Foi em um jogo contra o Cowboys, SNF da semana 12. Um TD inesquecível do rookie promissor. Preciso falar também do QB Ben Roethlisberger, o cara que mais rápido entrou e saiu da discussão para MVP, tudo fruto de dois jogos seguidos com 6 passes para TD. Colts e Ravens foram as vítimas, nas semanas 8 e 9.

A NFL é uma caixinha de surpresas. Frase clichê à parte, continua sendo verdade. Dolphins, você foi melhor do que se esperava, uma defesa que evoluiu rápido, um QB que finalmente parece crescer como se esperava. Cowboys, você também surpreendeu. Sem depender tanto do QB Tony Romo, conseguindo usar muito bem o jogo corrido com o RB DeMarco Murray e uma linha ofensiva digna de elogios. Patriots, você foi uma decepção e uma surpresa ao mesmo tempo, ao conseguir decepcionar em setembro e surpreender em seguida.

Nada disso existiria sem as estrelas da liga, os jogadores. Vamos destacar alguns aqui em algumas posições. Na posição de QB, temos Aaron Rodgers jogando o fino. Candidato fortíssimo a MVP da temporada, levando o bom time do Packers aos playoffs com boas chances de chegar ao Super Bowl. Como Running Back, escolho o DeMarco Murray que, além de correr para mais jardas que qualquer outro (1845 jardas), tem 13 TDs e modificou todo um esquema de ataque com seu desempenho. Antonio Brown e Jordy Nelson são os grandes recebedores da temporada. Dois caras que conseguem jogar bem em praticamente todos os jogos, donos de uma regularidade impressionante. Vale mencionar também Julio Jones e, entre os rookies, Odell Beckham Jr. O DE é o monstro J.J. Watt, sem discussões ou qualquer espaço para argumentação. Para cobrir o recebedor adversário, ninguém melhor que Richard Sherman, Vontae Davis, Darrelle Revis – jogando como de costume – e Chris Harris Jr.

Pensando neles e nos destaques de todas as outras posições, colocaria Aaron Rodgers e J.J. Watt na briga pelo prêmio de MVP. E o meu voto é de J.J. Watt porque fez mais que qualquer um na sua posição e fez também como TE. Um monstro.

E agora os playoffs. Obviamente, imprevisível. Mas vou apontar 2 favoritos de cada conferência após relembrar toda a temporada agora com vocês. Da AFC: Patriots e Steelers. Da NFC: Packers e Seahawks. (Não) Podem me cobrar! Se tivesse que apostar em duas susrpresas, na AFC seria o Steelers e na NFC o Cowboys.

Legal relembrar tudo o que aconteceu e fazer umas apostas…passa tudo tão rápido! De maneira mágica – ou seria trágica? – parece que entre Setembro a Dezembro constam apenas 30 dias no calendário. Mas foi muito bom. E como você notou, caso tenha conseguido ler tudo e chegar até aqui, teve de tudo nessa já saudosa temporada regular de 2014. Testemunhamos até o Buffalo Bills jogar em casa…em Detroit!

Compartilhe

Comments are closed.