quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Compartilhe

Diferente de outros textos que produzi para a Liga dos 32, esse não será uma análise sobre nada, mas ainda terá certo caráter reflexivo e indicativo. A grande verdade é que eu estou eufórico com a volta da NFL. A gente esperou por isso com tanta ansiedade, com tanta incerteza, que parece quase irreal que finalmente a gente esteja vivendo esse momento, ainda mais estranho pela falta de jogos de pré-temporada. E o melhor de tudo, voltou com uma semana 1 com alguns jogos e duelos que podem trazer alguns indicativos interessantes para o restante da temporada.

Alguns jogos para ficarmos de olho

Todos.

Brincadeira (não é brincadeira), tem alguns que podem realmente nos mostrar coisas muito legais. Eu escolhi 3 jogos que prometem ser bacanas e vão matar nossa curiosidade sobre aspectos táticos e técnicos que não pudemos ver durante a pré-temporada.

O primeiro é Saints x Buccaneers. O ataque do Saints é sempre muito legal de assistir, com um playcaller extremamente agressivo em Sean Payton, um grande QB em Drew Brees e jogadores “skill” de muita habilidade, como Kamara, Thomas e Cook. Do outro lado, temos o ataque do Buccaneers que é sempre muito legal de assistir, com um playcaller extremamente agressivo em Bruce Arians, um grande QB em Tom Brady e jogadores “skill” de muita habilidade, como Evans, Gronk e Godwin.

Leia Mais: Nove jogadores candidatos a dar a volta por cima em 2020

Leia Também: O que esperar da defesa do Chargers sem Derwin James?

Fique de olho em como Tampa Bay irá utilizar seus Tight Ends, especialmente na redzone!

Ficou repetitivo? Sim. Espero que assim seja no jogo, com os ataques repetindo a qualidade um do outro o tempo inteiro. Ah! É um duelo de divisão. Vai pegar fogo.

O segundo jogo é Patriots x Dolphins. Aqui já temos um motivo fácil logo de cara para ficar de olho no jogo: Há 19 anos vemos o mesmo QB pegar snaps em New England. E no domingo será outro, de um estilo de jogo bastante diferente. Como técnico, eu fico ansioso para ver o que Josh McDaniels e Bill Belichick estão pensando em termos de tática para Cam Newton executar. Por outro lado, o Miami Dolphins vem com uma defesa reforçada com alguns jogadores que eram do Patriots, como Kyle Van Noy,, dentre outros reforços. Além disso, a OL e o backfield foram reforçados via draft e free agency, enquanto o time não perdeu nenhuma peça muito importante.

É importante lembrar que o Dolphins, apesar de não ter tido boa campanha ano passado, terminou a temporada numa crescente, inclusive ganhando bem do Patriots na semana 17. E bem, como diria o sábio, “o norte se lembra”. Veremos se New England vai com uma motivação a mais para esse jogo.

O terceiro jogo é um jogo menos badalado, mas ainda assim, cheio de dúvidas que precisam ser respondidas: Panthers x Raiders.  Pelo lado do Panthers, o que sabemos? Nada. E é isso que torna tudo muito mais divertido. HC novo, QB novo, defesa refeita após a aposentadoria de Kuechly… Realmente não sabemos o que pensar desse time. Mas, como torcedor do nosso glorioso Baylor Bears, posso dizer que Matt Rhule fez um trabalho sensacional lá, transformando um time 1-11 em uma equipe candidata a campeã de conferência em dois anos. É plenamente possível para ele reerguer a franquia.

Pelo lado do Raiders, espero ver o time numa crescente com relação ao ano passado. Fizeram um bom draft e fico na expectativa de ver como o calouro Henry Ruggs (WR) será utilizado. Acho também que esse jogo pode ser surpreendentemente bom, com um placar total elástico.

Alguns jogadores para ficarmos de olho

Um jogador que vale a pena ficarmos de olho é AJ Green, um dos possíveis candidatos a jogador “Comeback” do ano. Ao vê-lo num ataque moderno, como o do coach Zac Taylor, e com o QB Joe Burrow, talvez possamos testemunhar o ressurgimento do recebedor do Bengals como o jogador da grande qualidade que ele já mostrou.

Outro jogador para olharmos bem é Dwayne Haskins. Nomeado titular já para a semana 1, Haskins também assume um time por um HC novo, um coordenador novo, uma OL nova e até mesmo um nome  de time novo. Vale a pena conferir se isso não é peso demais para o jovem, que precisa começar a fazer valer a escolha de primeiro round que Washington usou nele.

Um ponto muito relevante aí é: Ron Rivera desenvolveu Cam Newton a uma ascensão meteórica nos primeiros anos de NFL. Talvez ele possa fazer o mesmo com Haskins.

Sempre importante lembrar que temos o (heroico) QB Alex Smith aguardando uma chance de um retorno triunfal aos campos, e isso deve gerar uma pressão extra no QB escolhido no draft do ano passado.

E por último, mas não menos importante, vale a pena colocar os olhos em Rob Gronkowski, que volta à liga depois de um ano sabático, que certamente o ajudou no seu maior problema como jogador: as dores de diversas lesões. Possivelmente veremos um Gronk mais “solto” correndo as rotas, algo que já não víamos em sua última temporada. E vai jogar para um QB que ele conhece bem demais. Então sinto que a semana 1 pode nos indicar como Gronk se preparou para essa temporada e se ele realmente está saudável.

Se você for torcedor do Patriots, cuidado. Assistir Gronk e Brady de vermelho pode trazer fortes emoções.

Unidades a serem observadas

Já puxando um gancho ao falar sobre Gronk, sinto que uma unidade muito interessante a se observar é o grupo de TEs do Buccaneers. Já vimos algumas duplas muito boas de TE na liga (Gronk tendo feito parte de algumas delas), mas talvez esse seja o melhor grupo de TEs já registrado. Brate é um alvo excelente na redzone, além de ser um bom bloqueador. Howard é um jogador assumidamente bom, escolhido na primeira rodada, que é um excelente recebedor. E Gronk é aquele recebedor que já conhecemos, além de ser um bloqueador formidável.

Outra unidade que vale a pena observamos é o front 7 do Colts. O interior da linha, historicamente, sempre foi um ponto fraco da unidade, não possuindo DTs e LBs de muita qualidade. Melhorou muito ao adicionar Darius Leonard, um monstro absoluto na posição de LB e adquiriu na offseason o DT DeForest Buckner, transformando-o no segundo DT mais bem pago da liga. Buckner é um jogador muito dominante na posição e, somado a Leonard, pode protagonizar uma excelente defesa contra a corrida e eficiente contra o passe.

E para fechar, vejam os recebedores do Cardinals. Nessa semana 1, o ataque do Cardinals vai duelar com o San Francisco 49ers, que tem uma das melhores defesas da liga e uma DB bastante talentosa. Hopkins, Fitzgerald, Kirk e Isabella prometem ser as armas de um ataque predominantemente aéreo, que começou a ser consolidado ano passado, mas passa por uma “prova de fogo” essa temporada. Certamente há qualidade e para as defesas vai ser muito estressante marcar com eficiência todos esses recebedores.

É oficial, amigos, a NFL está de volta. Aproveitem para apreciar o bom futebol jogado, mas não esqueçam de torcer para sua franquia e desejar que os rivais percam todos os jogos. Estamos vendo mais um capítulo da história do futebol americano ser escrito e eu me sinto absolutamente honrado de fazer parte disso. Espero que você se sinta assim também.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

 

 

Compartilhe

Comments are closed.