segunda-feira, 6 de maio de 2019

Compartilhe

São vários os times que saem do Draft de 2019 com muito elogios por suas classes, assim como taxados de vencedores, seja por conseguirem draftar jogadores badalados e cercados de muita expectativa durante todo o processo, seja por fazerem movimentações e trocas consideradas positivas para buscarem um determinado jogador ou arrecadar maior capital de Draft.

Longe, tanto de um ponto quanto do outro, está o Tennessee Titans, que mesmo sem ter uma classe de draftados numerosa e sem fazer movimentações durante o recrutamento, conseguiu muito valor com suas escolhas, com jogadores que, ainda que não tão badalados quanto outros prospectos da mesma posição, chegam para produzir e contribuir bastante com o time.

Leia Mais: Jogadores não draftados para ficar de olho na pré-temporada

Leia Também: Vítima de problemas extracampo, o Chiefs precisará se reinventar em 2019

Eis as escolhas realizadas pelo Titans:

  • Round 1 – Pick 19 – DT. Jeffery Simmons, Mississippi State;
  • Round 2 – Pick 51 – WR. A.J. Brown, Ole Miss;
  • Round 3 – Pick 82 – G. Nate Davis, Charlotte;
  • Round 4 – Pick 116 – S. Amani Hooker, Iowa;
  • Round 5 – Pick 168 – EDGE. D’andre Walker, Georgia;
  • Round 6 – Pick 188 – LB. David Long, West Virginia.

DT Jeffery Simmons

A escolha de Jeffery Simmons na pick 19 tem tudo para se tornar uma das maiores barganhas desde Draft ao longo dos próximos anos, pois o jogador tem um incrível talento, reconhecidamente de top 10 dessa classe, só tendo saído tão tarde assim pela grave lesão no joelho que sofreu (rompimento de ACL) durante os treinamentos no processo Pre-Draft. Embora demande certa preocupação com a recuperação e o jogador não esteja disponível, muito provavelmente, para essa temporada, o valor de talento é muito alto e a recompensa poder ser extremamente elevada pela escolha do jogador.

Trata-se de um prospecto que retrata bem o que é atualmente ou aquilo que se espera de um grande interior D-lineman na NFL, conseguindo ser ótimo e eficiente para parar o jogo terrestre, assim como exercer uma pressão intensa e constante pelo meio da linha. Se destaca muito como Nose-tackle, dominando o A-GAP e forçando o time adversário a buscar outra alternativa e jogadas que não sejam por ali. No um contra um é praticamente imparável ou insustentável por muito tempo, demandando double-teams quase que em todas as situações.

Conseguindo se reabilitar bem de sua lesão, não resta dúvidas de que Tennessee tenha encontrado um dos grandes líderes de sua defesa pelos próximos anos.

O Wide receiver A.J Brown talvez seja um dos jogadores da posição, no Draft desse ano, com a maior capacidade de criar impacto desde o seu primeiro dia em campo na NFL. O jogador era cotado até mesmo para o final do 1º Round, mas acabou caindo até esse ponto e o time de Nashville não hesitou.

Ótimo corredor de rotas, consegue executar até mesmo muitas fintas ao longo de uma rota, inclusive com a cabeça, tendo uma árvore já bem diversificada e corrida sempre com muita técnica. Tem boas mãos, atacando bem a bola para fazer a recepção, no ponto alto e com um ótimo ball skills, ajustando quando preciso e com uma incrível capacidade de trabalhar na sideline, sabendo sempre onde está posicionado em campo.

Chega para ser, a princípio, um slot receiver maior do que a média, como trabalhou mais em sua carreira no college, sendo um belo complemento para jogar com o WR Corey Davis, que na última temporada deu boas impressões de que pode sim ser o X receiver da equipe. É muito perigoso com YAC, mesmo não sendo o mais veloz, consegue cortes muito eficazes e secos, com habilidade bem acima da média e capacidade para quebrar e absorver alguns tackles.

WR A.J. Brown

Nate Davis é uma escolha muito sólida na 3ª Rodada, ainda que tivessem outros bons nomes disponíveis, a equipe de Tennessee foi buscar um jogador extremamente físico, com bom footwork, pés e movimentação fluida e de muita força, com potencial para ser titular desde o início e contribuir com uma já boa linha ofensiva, porém que carecia de um outro nome para Guard, após a saída de Josh Kline e mesmo com a chegada do excelente Roger Saffold.

Na quarta rodada a escolha de Amani Hooker me agrada muito, sendo o meu principal sleeper dessa classe da franquia. O safety tem como principal virtude o seu QI de futebol e a capacidade de ler e brincar com os olhos dos QBs durante as jogadas, todavia, ainda que fique evidente que precisa trabalhar mais no tempo de reação e explosão para conseguir o “splash” necessário para finalizar a jogada. Tem um ótimo poder de reconhecimento das rotas ofensivas e consegue fazer ajustes de maneira muito rápida, com ótimo processamento mental.

Chega muito bem no box, não se omite contra o jogo terrestre e tem uma boa capacidade e técnica de tackle, só precisando tomar um pouco de cuidado com a agressividade além da conta. A questão de seus atributos físicos, algumas vezes levantada como ponto de questionamento, ficou em segundo plano e foi um pouco afastada pela sua apresentação nos testes do combine, mostrando que o jogador tem sim a capacidade atlética para exercer múltiplas funções na secundária conforme o seu tape já demonstrava.

S – Amani Hooker

Fechando o Draft, o Titans foi buscar mais dois jogadores sólidos e que podem contribuir muito de início, já na rotação, principalmente D’andre Walker, EDGE rusher extremamente subestimado, até pelo seu baixo tamanho, mas de muita produtividade ao longo da carreira em Georgia. Pode fazer um belo duo com Harold Landry, sendo um OLB de 3-4 com ótimo motor, um bom bend e capacidade para evoluir e ganhar um papel de maior destaque com o tempo, até mesmo como titular.

David Long é outro jogador que foi extremamente produtivo no College, mas não conseguiu mover muitas atenções e é cercado de várias desconfianças pelo seu tamanho. Tem capacidade de estar em campo nas três descidas, o que é muito valorizado para um linebacker e pode ser um contribuinte nos times especiais até se desenvolver e poder mostrar que pode jogar na NFL e contribuir da mesma maneira que em sua carreira universitária.

Desse modo, mesmo sem tanto alarde e sem um vasto capital de Draft e escolhas, o Tennessee Titans certamente é um dos times que mais saem fortalecidos do recrutamento de 2019, ainda que invisível aos olhos de alguns, a franquia conseguiu agregar muito bem valores, necessidades e onde estava escolhendo cada qual de seus jogadores, conseguindo ser muito coerente em todas as rodadas.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui

Compartilhe

Comments are closed.