terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Compartilhe

A derrota para  o arquirrival Oakland Raiders, na Noite de Natal, assegurou que, pela primeira vez em 46 anos, o Denver Broncos terá temporadas consecutivas com mais derrotas do que vitórias. O ponto baixo na história da franquia, tão pouco tempo após a vitória no Super Bowl 50, leva a vários questionamentos, dos jogadores a comissão técnica e diretoria. Mas,entre torcida e jornalistas, quando levantam os nomes dos responsáveis pelo mau momento do Broncos, pouco se fala de John Elway, General Manager e grande responsável pela montagem do elenco.

Elway é obviamente uma lenda do Broncos. Além da magnânima carreira como jogador, foi o arquiteto do time que venceu o Super Bowl três anos atrás, já como General Manager. O seu currículo obviamente lhe dá vários créditos, e isso é merecido. E, deixando claro, não é ideia desse texto sugerir sua demissão. Provavelmente isso nem seria mesmo o mais indicado agora, em um momento de instabilidade na família Bowlen sobre quem quem deveria assumir a administração do time após o afastamento de Pat Bowlen. No entanto, talvez devido justamente ao seu status, Elway vem tendo seu trabalho menos questionado do que deveria.

Leia Mais: Pete Carroll merece respeito

Leia Também: mais um brasileiro pode chegar na NFL em 2019

O ponto mais óbvio (e o único justamente cornetado) são os sucessivos erros na escolha de um franchise quarterback. Contratar Peyton Manning era uma escolha óbvia e que deu certo, mas óbvio também é que era algo de curto prazo. A primeira aposta para sua sucessão foi em Brock Osweiler, draftado na segunda rodada em 2012 para se desenvolver à sombra de Manning. Não chegou nem perto de dar certo. Em 2016, logo após o título, Elway subiu na primeira rodada para escolher Paxton Lynch. Mesmo com um investimento tão alto feito nele, Lynch durou apenas duas temporadas no Colorado, sendo titular apenas em 4 partidas. Um enorme bust. Outras apostas de menor calibre foram feitas em nomes como Trevor Siemian e Chad Kelly, que também não vingaram. O atual titular, Case Keenum, contratado na Free Agency após um excelente ano no Minnesota Vikings, se não é a maior causa dos problemas do time, também não aparenta ser a solução deles. O Broncos precisará de um novo QB do futuro em breve, e Elway, um dos melhores de todos os tempos na posição, já mostrou que não é a pessoa mais indicada para escolher um.

E se Keenum não é brilhante, seu elenco de apoio também não lhe dá as melhores condições para prosperar. Demaryius Thomas foi trocado, e após a lesão de Emmanuel Sanders, todos os principais wide receivers e running backs do Broncos são calouros: Phillip Lindsay, Royce Freeman, Courtland Sutton, Tim Patrick e DaeSean Hamilton. Por mais que haja talento e potencial em todos eles, quando há tão pouca experiência em todo um conjunto de posições, e combinando isso com um QB mediano, fica difícil prosperar. Outro erro na montagem do elenco.

Mas um capítulo especial vai para a escolha de Vance Joseph. Contratado como técnico principal mesmo sem qualquer experiência prévia na função e tendo apenas um ano como coordenador defensivo, Joseph se mostrou um erro crasso em todos os sentidos possíveis. Por várias vezes o time estava visivelmente mal preparado mesmo para enfrentar adversários tecnicamente mais fracos, como ontem contra o Raiders e também recentemente contra o 49ers. A defesa do Broncos, que é muito talentosa, cedeu mais de 200 jardas aéreas para o TE (!!!) George Kittle em apenas um tempo de jogo. Com Nick Mullens lançando a bola. E lembrando que, teoricamente, Joseph é uma mente defensiva. Inúmeras decisões confusas em quartas descidas, pedidos de tempo e de desafios também não ajudam muito sua situação. Elway já teria pensado em demiti-lo no fim do ano passado, mas teria sido demovido da ideia justamente por causa da instabilidade na posição de QB, criada por ele mesmo. Mas dessa vez parece que não terá jeito, e o Broncos procurará um novo HC nas próximas semanas.

Sucessivos erros em draftar um QB e uma escolha errada de técnico seria o suficiente para demitir (ou pelo menos colocar na corda bamba) quase todos os outros GMs da NFL. Mas seu prestígio coloca John Elway em uma situação única, e ele terá outra(s) oportunidade(s) de corrigir seus erros e colocar novamente a franquia no rumo certo. Mas até quando?


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.