terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Compartilhe

Se a minha ideia ao colocar o título funcionou, você deve ter caído de para-quedas nesse texto pronto para xingar minha querida mãe. Se você não é torcedor do New England Patriots então, aí que eu não vou escapar das cornetas.

Antes de você me criticar por isso ou aquilo, por favor leia o texto até o fim. Depois que chegar no último ponto final, se você discordar de algo, sinta-se livre para discutir comigo na seção de comentários aqui do texto.

No último sábado, vimos o New England Patriots receber o Tennessee Titans em jogo válido pela semifinal de conferência, a rodada divisional dos playoffs. Se no começo o jogo parecia que ficaria interessante após o touchdown de Corey Davis, ele acabou se tornando um massacre para o time da casa. Foram 35 pontos consecutivos do Patriots, com ótima atuação de Tom Brady, transformando o jogo de competitivo para monótono para quem não tinha torcida no jogo. Mas ao contrário do que se imagina, o foco central da discussão do jogo não foram os touchdowns, os sacks em cima de Marcus Mariota ou o frio, e sim os erros de arbitragem.

Logo depois que o Patriots empatou a partida, o Titans seguiu sua campanha e chegava ao meio do campo após um passe de 13 jardas para o WR Eric Decker. Apesar do árbitro Ron Torbert ter falado em entrevista que Decker “empurrou e criou uma vantagem para si que permitiu que ele criasse espaço e fizesse a jogada”, o replay não mente e mostra que não houve falta. Sem a conversão de terceira descida, o Titans devolveu a bola e levou a virada na campanha seguinte. Há a contestação de que o touchdown da virada por James White não foi TD pela bola não cruzar o plano de gol, mas não há como crucificar as zebras aqui: o replay não dava 100% de certeza para poderem reverter a jogada.

Infelizmente, os erros continuaram pelo segundo quarto. Logo após a defesa do Titans forçar uma quarta descida, os árbitros marcaram uma saída falsa do Patriots e depois de anunciá-la, alteraram para uma infração de zona neutra do defensor do Titans, dando a primeira descida de graça ao time da casa. A decisão, muito contestada, deu sobrevida ao Patriots, que pontuou novamente.

Perdendo por 21 a 7, o Titans arriscou uma quarta descida com Derrick Henry e não converteu. No entanto, deixaram escapar uma falta bem clara, como colocamos em nosso Twitter durante o jogo. Por sorte, Gostkowski errou o field goal e o erro pesou um pouco menos.

Mesmo diante de todos os erros, não podemos colocar que o New England Patriots só venceu por conta deles. Afinal, o Patriots é um time muito superior ao Titans e provou isso dentro de campo, independente da arbitragem. Não se constrói um placar elástico da forma como foi e na pós-temporada, onde os melhores times se encontram, se não houvesse uma clara vantagem técnica do time vencedor.

Além do mais, os erros da arbitragem não impediram que o Tennessee tivesse outras chances de surpreender New England. Depois da infração da zona neutra, a defesa de TEN teve outras três terceiras descidas na campanha para forçar NE a chutar o punt e cederam conversões nas três. Independente do face mask em Henry, a chamada na quarta descida foi estúpida, para não dizer outra coisa. A prova disso é que mesmo se a falta não tivesse acontecido o running back não teria ganho a jarda necessária.

Diante de todas as circunstâncias ditas, fica claro ver como a arbitragem talvez tenha prejudicado o New England Patriots. Não dentro de campo, é claro, mas sim fora dele: seu desempenho horrível tirou o foco do jogo na grande atuação que o time teve e colocou justamente em quem não deveria chamar atenção em uma partida. Ao invés de estarmos elogiando Stephon Gilmore, que teve péssima temporada e fez um grande jogo, ou a linha defensiva de New England, que conseguiu oito sacks, ou até mesmo James White revivendo a glória do Super Bowl LI, estamos discutindo a atuação da arbitragem.

Perceberam como isso foi ruim para o Patriots? Não só tirou o mérito da vitória dos jogadores da equipe, como também questionou a honestidade e integridade da franquia. Por mais que a honestidade dela já foi questionada em outras circunstâncias como o spygate e o deflategate, não há motivos para questioná-la agora. Infelizmente, erros de arbitragem não são exclusivos aos jogos do Patriots.

No domingo, o Gillette Stadium receberá outro time da AFC Sul: o Jacksonville Jaguars. Novamente, o favorito é o New England Patriots. Para a NFL, que seja uma boa arbitragem, para que possamos focar nossas energias em quem realmente decide os jogos: os jogadores.

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

3 Comentários

  1. Leandro Agostinho on

    Cara, excelente texto. Espero que o pessoal deem opiniões pelo conteúdo do texto e não por interpretação do título.

  2. “Diante de todas as circunstâncias ditas, fica claro ver como a arbitragem talvez tenha prejudicado o New England Patriots. ”
    Fica CLARO que TALVEZ?
    Cruzes…

  3. O time é favorecido sistematicamente pela arbitragem (não só no jogo contra os Titans), é campeão em casos de pouca honestidade como o spygate e o deflategate e a coluna ainda quer vender o Patriots como “coitadinho afinal o time não tem culpa de ser favorecido.

    Foram decisões que mudaram a história do jogo. Os Titans poderiam ter feito 14-7, poderiam ter ido pro vestiário no mínimo empatados, e isso mudaria todo o planejamento pro segundo tempo. É ridículo tentar vender como coitada uma franquia pela qual a arbitragem é sistematicamente simpática em jogos decisivos.

Leave A Reply