segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Compartilhe

Existe um momento clássico e marcante na evolução das coisas que define a “passagem de bastão” de um ponto para outro da história. No cinema, na música, na tecnologia e na própria história da humanidade, esse momento é percebido com facilidade e fica eternizado como o ponto exato em que tudo aconteceu e uma nova fase teve início. No esporte não poderia ser diferente e é possível dizer que estamos vivendo ele durante a temporada 2019/20 da NFL. Durante os jogos que movimentaram a semana 4, o número de partidas iniciadas por Quarterbacks com 26 anos ou menos nessa temporada chegou a 52, superando o recorde de 48 confrontos, registrado há mais de 30 anos no campeonato de 1987. Após quase duas décadas, a liga parece finalmente estar entrando em uma nova era na posição.

Entre as figuras mais conhecidas da posição e que se encaixam na definição “26 ou menos”, Patrick Mahomes segue sendo o QB de maior sucesso em 2019. Mesmo não lançando TDs contra o Detroit Lions neste último domingo, o camisa 15 conseguiu levar Kansas City a uma virada improvável já nos minutos finais, mantendo o status de invicto da equipe. Aos 24 anos, ele levou o prêmio de MVP para casa em 2018 e é considerado a personificação do sucesso da nova geração de QBs da liga. Mas não é só de Patrick Mahomes que a posição vive nessa temporada, muito pelo contrário. Durante alguns jogos da semana 4, podemos acompanhar de perto os jovens quarterbacks da NFL se enfrentando cara a cara e entregando alguns dos melhores jogos da rodada.

Leia Mais: O último invicto da NFC

Leia Também: A falta de organização do Washington Redskins

Em Baltimore, Baker Mayfield e Lamar Jackson entraram em campo para mais um capítulo de uma batalha que deve durar por várias temporadas dentro da AFC Norte. Em confronto direto pelo 1º lugar da divisão, Baker e Lamar lançaram para mais de 500 jardas combinadas, em duelo de 65 pontos totais anotados pelos dois times.  Os dois entregaram exatamente o que é esperado para dois jovens atletas com tanta responsabilidade na NFL: Improvisação, jogadas de tirar o fôlego, erros previsíveis e um jogo competitivo. No final, melhor para Mayfield e o Browns, que alcançaram Baltimore na liderança de divisão, ambos com 2-2.

Em outros duelos envolvendo jovens quarterbacks na semana 4, destaque para a 2ª vitória de Kyle Allen na posição de titular do Carolina Panthers, enfrentando o jovem mas já estabelecido Deshaun Watson, fora de casa. Allen, que também havia vencido o Cardinals como visitante, substitui  o lesionado Cam Newton nesse momento da temporada e já começa a chamar a atenção por conta das suas atuações. Quem também brilhou pela 2ª semana seguida foi Daniel Jones, novo QB titular do New York Giants, sob o seu comando, a equipe da NFC Leste alcançou mais uma vitória na competição e chegou ao 2-2 na nova temporada, ganhando vida dentro da divisão. Durante o confronto do domingo, Jones enfrentou Dwayne Haskins, que finalmente fez a sua estreia no futebol americano profissional, mas não teve a mesma sorte, lançando 3 interceptações e completando apenas 9 passes.

Menção honrosa também para a sensação Gardner Minshew II, que levou o Jacksonville Jaguars a  2ª vitória seguida em seu terceiro jogo como titular e novamente mostrou que pode se tornar titular a qualquer momento dentro da NFL. Destaques pelos motivos diferentes, Kyler Murray e Josh Rosen seguem com muita dificuldades em Arizona e Miami, respectivamente, tendo que lidar com times pouco entrosados e a tradicional dificuldade de adaptação dos quarterbacks jovens para o nível profissional.

A HORA DA MUDANÇA FINALMENTE CHEGOU?

Nem todos os jovens QBs que assumiram a posição de titular nessa temporada chegaram ao posto simplesmente por esforço próprio. Lesões como a de Drew Brees, Nick Foles, Cam Newton e Ben Roethlisberger forçaram a estreia até precipitada de alguns deles e mudaram os rumos das equipes e de algumas das divisões da NFL em 2019. Assim que os nomes de peso estiverem recuperados fisicamente, é provável que alguns desses jogadores voltem a função de reserva e a liga retome a sua normalidade. Ainda assim, são poucos os jogadores que podem contar com oportunidades tão claras para brilhar como nessa temporada e a tendência é que as equipes que contam com QBs em final de carreira passem a avaliar seus jovens atletas com maior atenção, não apressando a volta dos veteranos.

Embora seja uma tendência mais temporária e proporcionada pelo alto número de lesões em Quarterbacks nesse início da temporada, já existe uma grande quantidade de equipes apostando em atletas que estão apenas no 2º ou 3º ano na liga, dando a eles a vaga de titular  e a responsabilidade de liderar seus ataques. O que isso significa para a nova configuração da NFL? Mais equilíbrio, imprevisibilidade e mudanças significativas de estilo de jogo na posição. Embora sejamos  gratos aos QBs que moldaram a liga nos últimos 20 anos, é importante perceber que o esporte segue se modernizando e aberto a novas formas de evoluir. Quem tem a ganhar é o próprio futebol americano.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.