sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Compartilhe

A NFL é uma liga forte de um esporte coletivo, com elencos de 53 jogadores, mas que sempre teve o destaque para suas estrelas e seus performances individuais. Essas estrelas, que tem suas histórias construídas durante os jogos da temporada e o desempenho nos jogos levam os jogadores a serem premiados e se elevarem ao patamar de estrelas, que movimentam as vendas de ingressos de jogos, vendas de produtos e audiência das partidas.

Nos primórdios da NFL, o jogo terrestre era a base dos esquemas e as estrelas eram os jogadores que corriam com a bola. Running backs e full backs eram os jogadores mais celebrados pelos torcedores e tinham volume de jogadas e estatísticas mais chamativas. Do outro lado da bola, os responsáveis pela contenção terrestre eram as estrelas, sendo os defensive tackles e inside linebackers os mais valorizados das unidades defensivas. Com o passar do tempo, o jogo mudou e agora as jogadas aéreas são o carro-chefe da liga, fazendo com que os quarterbacks e wide recievers fossem as estelas mais frequentes que aparecem na liga hoje em dia. Na unidade defensiva, os pass rushers e os jogadores de secundária são os mais valorizados.

Leia Mais: A situação dos grevistas a pouco mais de uma semana da Temporada Regular

Leia Também: Segue a novela Jadeveon Clowney

Mas a liga não é feita somente de estrelas e os elencos são formados por 53 jogadores que tem sua importância. A maioria dos técnicos ressalta o quanto ter um elenco de qualidade e como os coadjuvantes podem ser a diferença entre ser campeão do Super Bowl e fazer uma campanha medíocre. Abaixo analisaremos alguns dos coadjuvantes que serão importantes em seus times para 2018:

WR Calvin Ridley (Atlanta Falcons)

Ridley era um talento muito observado no draft do ano passado e foi draftado pelo Falcons que já tinha Julio Jones e Mohammed Sanu. Ridley foi muito bem em seu ano de calouro e deve evoluir mais em 2019 com o aumento de sua química com Matt Ryan e a preocupação das defesas com Julio Jones.

RB Dion Lewis (Tennessee Titans)

Lewis nunca foi um running back de volume alto em seu auge em New England, onde foi campeão do Super Bowl, mas sempre foi uma arma muito boa recebendo passes saindo do backfield. Com Derrick Henry sendo o running back com mais carregadas terrestres, Lewis será importante em descidas de passes e como um desafogo para Marcus Mariota (ou Ryan Tannehill)

WR Jarvis Landry (Cleveland Browns)

Mesmo com um relacionamento de quase irmão junto de seu agora companheiro Odell Beckham Jr, Landry sabe que Beckham Jr é a estrela do corpo de recebedores. Com tanta atenção para a conexão de Baker Mayfield e Odell Beckham Jr, Landry pode ser a válvula de escape para o ataque de Cleveland.

CB JC Jackson (New England Patriots)

Mais um exemplo dos jogadores que saem do draft sem serem escolhidos e vão para New England ser campeões e decisivos, JC Jackson tem a companhia de uma secundária estrelada com nome como Stephon Gillmore e Devin McCourty, Jackson será importante para a defesa de Bill Belichick defender o título.

DL Da’ron Payne (Washington Redskins)

Jogador com extremo talento saindo da universidade, mas com a ressalva de ter tido problemas no coração, Payne conseguiu ficar saudável e auxiliar a linha defensiva de Washington em 2018. Para 2019, será coadjuvante de uma defesa com nomes como Ryan Kerrigan e Jonathan Allen, mas será muito importante, ainda mais em uma divisão que conta com Saquon Barkley, Ezekiel Elliott e a linha ofensiva de Philadelphia.

DL Akiem Hicks (Chicago Bears)

Com Khalil Mack sendo a grande estrela do time, outros jogadores normalmente se aproveitam da atenção dada ao camisa 52 e se sobressaem. Hicks foi um destes em 2018 e deve continuar o trabalho pelo interior da linha, sendo peça fundamental e silenciosa da forte defesa de Chicago.

 

S Nasir Adderley (Los Angeles Chargers)

Em um dos elencos mais lotados de talento da liga, o Los Angeles Chargers tem algumas estrelas em sua defesa, como Joey Bosa, Melvin Ingram e Derwin James, que perderá jogos em 2019. Para suprir a ausência de James, Adderley terá espaço para evoluir como calouro e contribuir para a secundária de Los Angeles.

RB Matt Breida (San Francisco 49ers)

Com Jerick McKinnon na lista de machucados e Tevin Coleman como o número 1 do sistema do técnico Kyle Shanahan, Breida deve ter volume em descidas de passe, por mais que Coleman tenha histórico recebendo passes com Shanahan em Atlanta. Breida pode descansar seu companheiro de backfield e adicionar mais velocidade ao backfield de San Francisco e deve ser ótimo coadjuvante em 2019.

 

 

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.