quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Compartilhe

Infelizmente, assim como está eternizado no ditado popular: o que é bom dura (bem) pouco! E, mais rápido do que uma corrida do Tyreek Hill, a temporada 2018 do Fantasy Football já virou estatística. Sendo assim, nada melhor do que aproveitar esta semana para fazer um resumo do ano no Futebol de fantasia. Hoje iremos destacar os melhores da temporada!

Além do Top 5 em cada uma das posições, também traremos comentários sobre as melhores e as piores escolhas do ano. Sem mais delongas, vamos aos melhores do Fantasy Football em 2018.

* Para este texto, utilizaremos os números da plataforma oficial de Fantasy da NFL.com. As pontuações podem sofrer alterações de acordo com as configurações de cada plataforma e/ou liga.

Leia Mais: TOP 5 – Decepções do Fantasy em 2018

Leia Também: Pete Carroll merece respeito

QBs

1 – Patrick Mahomes (KC): 399.74

2 – Ben Roethlisberger (PIT): 327.08

3 – Matt Ryan (ATL): 325.64

4 – Aaron Rodgers (GB): 311.54

5 – Deshaun Watson (HOU): 309.74

Entre os QBs, a melhor escolha é incontestável: Patrick Mahomes. Jogador não draftado em muitas ligas, o QB do Chiefs explodiu e virou um verdadeiro fenômeno na temporada. O Top 5 inclui ainda nomes que sempre são boas escolhas e não temos uma grande surpresa nesta lista. A maior decepção é Tom Brady (NE). Jogador escolhido sempre entre os primeiros QBs do Fantasy, o veterano foi apenas o 13ª colocado entre os jogadores da posição.

Alguns outros jogadores podem ser destacados como boas e péssimas escolhas na temporada. Aqui vale, inclusive, uma explicação dos motivos pelos quais Mahomes e Brady foram citados acima. Para determinar o quanto uma escolha foi boa ou ruim, levamos em conta onde o jogador geralmente era escolhido nos drafts e a expectativa que se tinha sobre o desempenho do mesmo. Dentre as boas escolhas, temos nomes como Andrew Luck (IND) e Phillip Rivers (LAC). No lado negativo, Matt Stafford (DET), Dak Prescott (DAL) e Marcus Mariota (TEN) tiveram desempenhos decepcionantes em nosso jogo virtual na maioria das semanas.

RBs

1- Todd Gurley (LAR): 313.10

2- Saquon Barkley (NYG): 274.60

3- Christian McCaffrey (CAR): 274.50

4- Alvin Kamara (NO): 273.20

5- Ezekiel Elliott (DAL): 252.10

Na posição mais disputada do Fantasy, não tivemos nenhuma supressa com Gurley, mais uma vez, como o grande líder. Tivemos ainda o desempenho espetacular, porém esperado, do anormal Saquon Barkley, Kamara e Elliott fazendo o que se esperava deles, e McCaffrey tendo o seu ano de explosão. Por conta da pontuação, Gurley foi obviamente uma ótima escolha. No entanto, para contar com o RB do Rams, na maioria das ligas, o GM precisaria estar com a pick número 1 do Draft, o que limita o conceito de “escolha”.

Em relação à forma como estamos considerando, que seria ponderar o ponto em que o jogador era draftado e o seu retorno ao final da temporada, Christian McCaffrey – sobretudo se escolhido no final da primeira ou início da segunda rodada – foi uma ótima escolha. Tivemos ainda jogadores, além dos citados no ranking, escolhidos cedo nos drafts virtuais que tiveram temporadas muito sólidas. Dentre eles, merecem destaque: Melvin Gordon (LAC) e Joe Mixon (CIN). E, como são comuns, as surpresas e revelações apareceram e quem esteve atento ao Waiver conseguiu ótimos nomes como James Conner (PIT), Phillip Lindsay (DEN), Matt Breida (SF) e Tarik Cohen (CHI).

Pelo lado negativo, as decepções foram muitas. Começando pela maior de todas, Le’Veon Bell. O jogador do Steelers, que nem entrou em campo por conta de problemas contratuais com a equipe, foi um verdadeiro desperdício de recursos no Fantasy em 2018. O RB, que foi uma escolha top 2 em quase todas as ligas, tirou um ano sabático e deixou seus “proprietários” no Fantasy desesperados. A lista negra, seja por conta de desempenho ou lesões, ainda inclui: Jordan Howard (CHI) e Derrick Henry (TEN), que só decidiram ser úteis no final da temporada, Kenyan Drake (MIA), Leonard Fournette (JAX), Dalvin Cook (MIN), Alex Collins (BAL), LeSean McCoy (BUF), Royce Freeman (DEN) e Chris Thompson (WAS).

WRs

1- Antonio Brown (PIT): 219.70

2- Davante Adams (GB): 218.60

3 – Tyreek Hill (KC): 217.40

4 – DeAndre Hopkins (HOU): 203.80

5 – Julio Jones (ATL): 193.10

Mais uma posição em que o líder não é surpresa para ninguém, além da confirmação de mais uma falha da maldição do Madden. Sendo justo, nenhum dos jogadores do Top 5 chega a surpreender, e todos foram escolhas muito seguras na temporada. Além deles, Adam Thielen (MIN), Michael Thomas (NO), Mike Evans (TB) e Keenan Allen (LAC) foram outros jogadores, da posição mais farta de opções, que tiveram temporadas excelentes. A melhor escolha de uma posição com tantas opções é sempre algo ainda mais subjetivo, mas JuJu Smith-Schuster (PIT) merece este posto, pois foi escolhido bem depois das duas primeiras rodadas e teve uma temporada incrível.

No lado negativo, as decepções estão relacionadas com expectativas pré-Draft e lesões. Odell Beckham Jr (NYG), que está longe de uma temporada desastrosa, acaba entrando nesta categoria por ter sido um jogador escolhido muito cedo, o que torna o 14º lugar entre os WRs frustrante. Considerando o valor da pick investida, o retorno e ainda o fato de que o WR não atuou nas semanas decisivas do Fantasy, Beckham acabou se tornando uma péssima escolha na temporada. Em situação decepcionante em relação ao desempenho, merecem uma menção: Allen Robinson (CHI) e Demaryius Thomas (DEN/HOU). E, por conta de lesão, AJ Green (CIN) também se tornou uma decepção para quem escolheu o ótimo recebedor do Bengals bem cedo na maioria dos Drafts.

TEs

1- Travis Kelce (KC): 185.40

2- Zach Ertz (PHI): 162.80

3- George Kittle (SF): 149.80

4- Eric Ebron (IND): 144.20

5- Jared Cook (OAK): 122.80

Entre os TEs, o ranking conta com algumas surpresas. A primeira surpresa é, sem dúvidas, a maior decepção da posição e uma das maiores do Fantasy, Rob Gronkowski (NE). Não existe possiblidade de que outro atleta da posição seja uma escolha pior do que Gronk. Considerando que, na grande maioria das ligas, Gronk foi escolhido na primeira ou segunda rodada, é completamente frustrante que o TE do Patriots tenha ficado apenas na 10ª colocação entre os jogadores de sua posição. Outra grande decepção foi Jimmy Graham (GB). Mesmo que a tradição de TEs no Packers não seja das mais animadoras, se esperava mais desta dupla com Aaron Rodgers. Por desempenho e lesões, mais três jogadores que traziam boas perspectivas merecem entrar em nossa lista frustrante: Jordan Reed (WAS), Evan Engram (NYG) e Greg Olsen (CAR).

Pelo lado positivo, além do Top 5, são poucos os jogadores que realmente se destacaram em uma posição escassa de opções. Para citar alguns atletas que tiveram desempenhos aceitáveis: O.J Howard (TB), Trey Burton (CHI), David Njoku (CLE) e Kyle Rudolph (MIN). Considerando, mais uma vez, a posição média em que foi escolhido nos Drafts (em algumas ligas nem foi draftado) e o retorno de pontuação, a melhor escolha foi George Kittle (SF). O TE do 49ers é uma das grandes revelações da temporada e seu desempenho fará muita gente o escolher bem cedo no Fantasy na próxima temporada.

Defesas

1- Bears: 179.00

2- Rams: 134.00

3- Texans: 132.00

4- Ravens: 126.00

5- Vikings: 124.00

Em relação às defesas/times especiais, não tivemos grandes surpresas. A boa unidade do Bears mudou de patamar com a chegada de Khalil Mack e também se torna uma das melhores escolhas do ano. No caso das defesas, é complicado seguir o nosso critério de considerar o ponto em que foram escolhidas, pois, salvo alguma decisão bizarra, as unidades são escolhidas nas últimas rodadas dos Drafts de Fantasy. Desta forma, as citadas no Top 5 e ainda outras como, por exemplo: Patriots, Broncos, Seahawks e Titans foram boas escolhas dependendo dos confrontos da semana.

Pelo lado negativo, algumas unidades defensivas renderam bem menos do que se esperava na temporada. Podemos citar como decepções: Jaguars (15ª) Chargers (22ª), Panthers (24ª) e Eagles (27ª). Unindo a expectativa com o retorno, o Jaguars é, sem dúvidas, a pior escolha deste grupo; até mesmo por ter sido uma defesa que, geralmente, era escolhida antes das demais por conta do ótimo desempenho em 2017.

Como sempre ocorre, o Fantasy é cheio de surpresas e decepções. Esperamos que o amigo leitor tenha tido uma boa temporada com agradáveis surpresas em sua jornada por estas 16 semanas. E, mais rápido do que se espera, estaremos falando de Fantasy novamente!


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.