quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Compartilhe

A descoberta quase que diária de novos casos de covid-19 em atletas e comissões técnicas de algumas das equipes na liga tem gerado diversas mudanças no calendário dos jogos e a semana que deverão aproveitar-se de um fim de semana sem ter que disputar uma partida. Se não tivermos nenhuma outra reviravolta, a semana 6 da temporada terá Las Vegas Raiders, Los Angeles Chargers, New Orleans Saints e Seattle Seahawks como os escolhidos para folgarem.

Com mais tempo para descansar e analisar os vídeos das partidas, as equipes podem aproveitar o período para recuperarem eventuais lesões nos atletas e melhorar as áreas com baixo desempenho. Confira alguns dos pontos nos quais os quatro times podem evoluir.

Las Vegas Raiders (3-2)

No último domingo, o Las Vegas Raiders finalmente conseguiu vencer fora de casa o Kansas City Chiefs, o seu principal de divisão, o que não conseguia desde 2012, quando ainda era de Oakland. Com muitas jogadas com grande ganho de jardas no ataque e bom plano de jogo defensivo para limitar o QB Patrick Mahomes, a equipe entra na semana de descanso com a confiança lá em cima.

Leia Mais: O começo da caminhada de Justin Herbert na NFL
Leia Também: Power Ranking Liga dos 32 – Semana 5

Porém, Jon Gruden e o restante de sua comissão técnica terão muitos ajustes para fazer na sua defesa nos aspectos táticos e comportamentais.

A defesa do LV Raiders conseguiu conter (já que é quase impossível parar) o poderoso ataque do Kansas City Chiefs na semana 5

Depois de cinco semanas, alguns dos números sobre a defesa do Raiders indicam as áreas que precisam ser endereçadas o mais breve possível:

  • 7ª que mais cedeu jardas totais por jogo (393,6 – em média);
  • 3ª pior em jardas por jogada (6,2);
  • 5ª que menos roubou a bola do ataque (3);
  • 2ª que mais permitiu jogadas na redzone (22);
  • 10ª pior em % de jogadas que viraram touchdowns na redzone (68,8%).
  • 11ª que mais cedeu jardas terrestres (634)

Além disso, a defesa é a oitava em número de faltas (32) e a que mais cedeu jardas por conta disso. Seja excesso de vontade, desatenção ou falta de disciplina, é necessário que esses erros sejam reduzidos ao máximo para os próximos jogos.

Los Angeles Chargers (1-4)

O torcedor do Los Angeles Chargers não aguenta mais ter “vitórias morais”, se é que elas existem. Depois de quase vencer o Kansas City Chiefs na semana 2, permitindo que o jogo fosse até a prorrogação, o último Monday Night Football contra o New Orleans Saints nos mostrou o que é há de melhor e pior na equipe nessas cinco primeiras semanas: a equipe treinada por Anthony Lynn é competitiva, bem treinada, tem jogadores talentosos, mas sofre com a ausência de seus principais atletas por conta de lesões e tem dificuldades para fechar jogos.

Como bem levantou no Twitter o jornalista Gregg Rosenthal, da NFL Network, a partir do segundo quarto do MNF o Chargers estava sem o WR Keenan Allen, G Trai Burner, DE Melvin Ingram, CB Chris Harris Jr, todos titulares e eleitos para o Pro Bowl em suas carreiras, S Derwin James (All-Pro), RB Austin Ekeler, RT Bryan Bulaga, DT Justin Jones e LB Drue Tranquill, também considerados titulares. Quando você tem essa quantidade de jogadores de alto calibre fora de campo, não é de se estranhar que o time não consiga assegurar as vitórias, mesmo que tenha a vantagem no placar momentos antes do fim do tempo regulamentar.

Segundo a CBS, nas últimas 15 vitórias sofridas pela equipe nas duas temporadas mais recentes, 13 delas foram por apenas uma posse. Essa estatística é um forte indicativo de que Anthony Lynn e sua comissão técnica precisam fazer um trabalho melhor nas jogadas chamadas para a defesa e ataque nos momentos decisivos da partida, levando em consideração os ajustes feitos anteriormente à beira do campo, para que elas sejam executadas da maneira correta.

New Orleans Saints (3-2)

Por falar em autossabotagem com faltas, o ataque do New Orleans Saints cometeu muitas penalidades nos primeiros cinco jogos: 33, a sexta maior marca da liga.

Para voltar a se tornar uma unidade mais consistente no jogo aéreo, o Saints não vê a hora de poder contar novamente com o WR Michael Thomas, que está afastado dos gramados desde a semana 1 por conta de uma lesão no tornozelo. Com o retorno do atual detentor do recorde de maior número de recepções em uma única temporada, os outros recebedores, como os WRs Emmanuel Sanders e Tre’Quan Smith, vão se beneficiar dos cuidados redobrados da defesa sob Thomas e encarar mais confrontos mano a mano.

A partir disso, é urgente que criem separação em relação aos seus defensores para receber os passes. Não dá para arrumar desculpas: vocês recebem passes de Drew Bress, o quarterback estatisticamente mais preciso da história da NFL. Entrem em campo e façam as jogadas para ganhar os jogos.

Seattle Seahawks (5-0)

Depois de cinco semanas, o desempenho do Seattle Seahawks tem sido histórico, para o bem e para o mal. Pela primeira vez desde a sua fundação, o time possui a campanha de 5-0, sob a liderança do excelente desempenho do seu quarterback, Russell Wilson, pela dupla de recebedores DK Metcalf e Tyler Lockett, assim como do running back Chris Carson.

O lado negativo até aqui da temporada 2020 do Seahawks é o desempenho da defesa, especialmente a sua secundária.

Até o momento, a equipe está cedendo, em média, 471,2 jardas por jogo, a pior marca na liga. O recorde em uma temporada completa é de 440,1 jardas/jogo (em média), estabelecido em 2012 pelo New Orleans Saints. Se seguir nesse ritmo, Seattle cederá 7539 jardas totais, 497 a mais que o atual detentor do infeliz recorde.

 

https://twitter.com/NFL/status/1315486067148034048

Com um pass rush inconsistente e que ficou ainda mais prejudicado com a lesão que tirou da temporada o DE Bruce Irvin, os jogadores da secundária precisam cobrir os recebedores adversários por muito tempo. Contratado a peso de ouro, a lesão na virilha do S Jamal Adams na semana 3 não veio em boa hora, deixando ainda mais fragilizado o setor que conta com os DBs Shaquill Griffin, Tre Flowers, Quandre Diggs, Quinton Dunbar e Lano Hill atuando como titulares.

O desempenho defensivo contra o jogo corrido ainda é o principal ponto de destaque do setor (o oitavo mais eficiente segundo o Football Outsiders), mas ter cedido 201 jardas no último jogo sem dúvidas será um ponto de discussão na equipe nos próximos dias.

Como a famigerada máxima diz e o Seattle Seahawks é própria viva: ataques ganham jogos, mas defesas vencem campeonatos. Está na hora de encontrar o equilibro entre os setores para consolidar a posição como uma das melhores equipes na liga.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

 

Compartilhe

Comments are closed.