terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Compartilhe

A chamada Black Monday é uma das tradições não escritas da NFL. Após o último domingo de jogos da temporada regular começam a surgir notícias de demissões de técnicos de diversos times e as franquias que não alcançaram os playoffs iniciam seus planejamentos para o campeonato seguinte. No entanto, além de treinadores, o término desse ano trouxe uma série de questionamentos relativos aos quarterbacks de algumas equipes e se eles são capazes de levá-las às glórias desejadas. Assim, analisaremos as situações dos QBs pela liga e quais devem ter alguma mudança ao longo da offseason que se aproxima.

Ameaçados claros

Joe Flacco

Um dos nomes mais óbvios dessa lista, Flacco perdeu o posto de titular após sofrer uma lesão. No período afastado, viu o calouro Lamar Jackson comandar o Ravens a seis vitórias nos sete últimos jogos e a uma vaga nos playoffs com o título da AFC Norte. Agora, a franquia já tem um novo quarterback para o futuro e Flacco e seu pesado contrato certamente terão nova casa em 2019. A grande curiosidade se dá pelo fato de ainda ter mais três anos de vínculo, o que ocasionará um grande dinheiro morto contra o teto salarial de Baltimore, mas que pode ser diluído se a movimentação for realizada após o dia primeiro de junho. Assim, resta esperar o próximo movimento da equipe para descobrir se será realizada uma troca ou se o MVP do Super Bowl XLVII será apenas cortado.

Leia Mais: Sistemas defensivos do Madden: Cover 2 em Zona

Leia Também: Destaques e Decepções: Vai Indianapolis Colts!

Blake Bortles

Outro quarterback que perdeu o posto de titular ao longo da temporada, Bortles implodiu em 2018 após um desempenho razoável na temporada anterior, que terminou com uma derrota na final da AFC. Após um ano decepcionante, no qual o Jaguars ficou muito abaixo do esperado, já existem relatos de que a diretoria procurará um substituto e que ele não retornará como o QB da franquia, mesmo depois de ter renovado o contrato na offseason anterior e poder gerar um impacto considerável na folha salarial.

Ryan Tannehill

Apesar de não ser um quarterback terrível, Ryan Tannehill não atingiu as expectativas do Dolphins quando o time o selecionou com a oitava escolha no Draft de 2012. Já com sete temporadas nas costas, ele parece já ter atingido o topo de seu potencial e recebe um salário muito alto para não fazer a diferença pela equipe. O próprio Tannehill já declarou que não sabe qual será seu futuro e, da mesma forma que aconteceu com Bortles, já foi reportado que ele não deve ser mantido. Assim, é a hora do Dolphins buscar um novo QB que possa elevar o teto do time e ainda liberar algum espaço contra o teto para permitir maiores movimentações na offseason.

Em situação questionável

Case Keenum

Contratado com um acordo pesado após o melhor ano de sua carreira, Keenum não entregou um desempenho do mesmo nível em sua primeira temporada com o Broncos. Com mais um ano no vínculo assinado na offseason passada, pode ser mantido se a equipe desejar tê-lo como peça de transição para um novo quarterback selecionado no próximo Draft. Contudo, não se deve ficar chocado caso ele seja cortado para dar espaço a um novo QB, seja ele um calouro ou um dos veteranos citados nessa lista.

Derek Carr

As diversas movimentações realizadas por Jon Gruden desde que chegou ao Raiders deixaram todos os atletas do elenco em estado de alerta. Como Carr ainda não entregou o esperado após a renovação contratual que assinou em 2017 e agora pode ser cortado para gerar um aumento substancial no espaço salarial da equipe. Dessa forma, vale ficar de olho no relacionamento entre o quarterback e técnico ao longo da offseason.

Eli Manning

Há muito tempo uma opção abaixo da média, é de opinião quase geral que Eli Manning já deveria ter sido substituído pelo Giants ou então que a franquia precisava de um plano de sucessão no lugar. No entanto, os sinais indicam que ele receberá mais um ano como quarterback da franquia, no que é a última temporada de seu contrato.

Sinal de alerta ligado

Jameis Winston e Marcus Mariota

A dupla selecionada nas duas primeiras posições do Draft de 2015 ainda não mostrou totalmente a que veio. Embora tenham momentos ocasionais de ápice que trazem otimismo para os torcedores, Winston e Mariota ainda são muito inconsistentes e levantam uma série de questionamentos. Como ambos estão sob contrato para a próxima temporada por meio da opção de quinto ano de seus contratos de calouro, dificilmente Buccaneers e Titans se afastarão deles na posição de quarterback. Entretanto, 2019 será um ano chave para o destino dos dois na liga.

Andy Dalton

Por muito tempo considerado o marco comparativo que separa os quarterbacks de alto nível dos que precisam ser substituídos, Dalton tem sofrido com lesões nos últimos anos e já mostrou que não será o responsável por carregar o Bengals até um título. Agora, pode ser cortado ser proporcionar nenhum dinheiro morto, o que pode motivar o time a buscar o seu futuro na posição.

Alex Smith

Depois de assinar uma gorda renovação com uma larga parcela garantida, Alex Smith parecia estar com um futuro sólido no Redskins. Porém, a assustadora lesão que sofreu ainda pode afetar consideravelmente sua carreira. Como ainda se trata de uma incógnita, a equipe pode optar por buscar novas opções, principalmente no Draft, já que a folha salarial está comprometida pelo contrato com Smith.

Aposentadoria?

Por fim, um pequeno bloco para considerar QBs de alto nível que não serão substituídos a não ser que optem por se aposentar. Entre eles estão Tom Brady, Drew Brees e Ben Roethliberger, que flertam com o final de suas excelentes carreiras e terminarão no Hall da Fama.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.