quarta-feira, 10 de junho de 2020

Compartilhe

Em 2018, Josh Rosen fez parte de uma classe talentosa de QBs escolhidos na 1ª rodada do draft ao lado de Baker Mayfield, Sam Darnold, Josh Allen e Lamar Jackson. Selecionado pelo Arizona Cardinals na 10ª posição geral, ele afirmou na época que as outras nove franquias que escolheram antes da equipe da NFC Oeste haviam cometido “9 erros” e que estava pronto para liderar o time, um dos mais necessitados da NFL na posição naquele período. Dois anos depois, o jovem jogador de apenas 23 anos pode estar a caminho do seu 3º time na liga antes do início da nova temporada e não há nenhuma indicação de que ele receba uma chance como titular tão cedo. Afinal, por que Josh Rosen ainda não deu certo na NFL?

Antes de chegar ao jogo profissional, Rosen foi um grande atleta à nível escolar e universitário, liderando os elencos por onde passou e sendo titular indiscutível em todos eles. Recrutado por UCLA como uma prospecto “cinco estrelas”, o que o colocava como um dos melhores QBs dos Estados Unidos em 2015 antes de chegar a faculdade, ele foi brilhante em seu ano de estreia em Los Angeles, lançando para 3,670 jardas, 23 TDs e 11 interceptações. Apenas aos 18 anos de idade, Rosen havia conquistado a vaga de titular no nível universitário e recolado UCLA no mapa novamente. Uma lesão no ombro na metade do 2º ano o tirou da temporada e atrapalhou seu desenvolvimento, mas no ano seguinte o QB voltou a liderar o time com números expressivos: 3,756 jardas, 26 TDs, e 10 interceptações. Aos 20 anos, Josh Rosen parecia pronto para brilhar no nível profissional.

Leia Mais: Colin Kaepernick merece uma chance na NFL em 2020?

Leia Também: Subestimados ao prêmio de treinador do ano

Em uma classe recheada de prospectos interessantes na posição de QB, todos eles com características bem próximas no estilo de jogo, mas também com diferenças fundamentais expostas durante a carreira universitária, Rosen foi escolhido atrás de Baker Mayfield (CLE), Sam Darnold (NYJ) e Josh Allen (BUF). Segundo alguns analistas, ele tinha condições de ser selecionado antes de qualquer um desses três jogadores e era possivelmente o Quarterback mais preparado da classe de 2018. Foi levando isso em consideração que o Arizona Cardinals não pensou duas vezes antes de selecionar o jogador na 10ª posição geral, dando a ele chance de mostrar que poderia liderar também um elenco no nível profissional.

AS DUAS TEMPORADAS DE JOSH ROSEN NA NFL

Mesmo escolhido na 1ª rodada do Draft, Rosen teve que batalhar pelo seu lugar no elenco do Cardinals em 2018, ficando atrás de Sam Bradford pela vaga de titular no início da temporada, mas vencendo Mike Glennon na disputa pela posição de reserva imediato. Apesar do início não ser o dos sonhos na NFL, Rosen sabia que a oportunidade chegaria e logo na semana 3 da temporada o QB ganhou a chance de virar o titular em Arizona. Em seus 13 jogos no ano de estreia, Josh Rosen venceu apenas 3 e somou 10 derrotas. Os números individuais do camisa 3 também não empolgaram a torcida e a diretoria: 11 TDs, 14 Interceptações, 55% de aproveitamento nos passaes e 2,278 jardas.

A campanha do Cardinals sob o comando de Rosen foi tão ruim que a franquia acabou ficando com a 1ª escolha geral do Draft de 2019 e optou por escolher o QB Kyler Murray para liderar o novo ataque dirigido pelo técnico Kliff Kinsgsbury. Antes mesmo dessa decisão, a franquia optou por trocar Josh Rosen com o Dolphins, encerrando de forma precoce a sua 1ª experiência como profissional na NFL. Em Miami, Rosen teria uma situação interessante para brigar pela vaga de titular com o veterano QB Ryan Fitzpatrick, mas acabou falhando mais uma vez; Em 3 jogos como titular em 2019, o camisa 3 não venceu nenhum deles, somando 1 TD e 5 Interceptações. Assim como em Arizona, o Dolphins optou por escolher um novo QB para a temporada de 2020 e possivelmente terá Ryan Fitzpatrick como o reserva imediato, o que deve encerrar mais um capítulo da carreira de Josh Rosen na NFL.

UMA NOVA CASA PARA JOSH ROSEN EM 2020?

Em seu momento mais calmo da offseason até agora, o mercado da NFL deverá voltar ao ritmo habitual entre julho e agosto. Apesar disso, já existem informações oficiais de que o Dolphins recebeu ligações de outros times interessados em Rosen e que podem fazer uma oferta pelo jogador até o início da temporada, em setembro. A favor do camisa 3 está o fato do QB ser ainda muito jovem e já ter demonstrado sinais de qualidade, mesmo com os números ruins até o momento na carreira, impulsionados também pela falta de qualidade dos elencos com o quais o jogador trabalhou em suas duas temporadas como profissional. Em Arizona e Miami, Rosen atuou com as duas piores linhas ofensivas protegendo e bloqueando para o passe em 2018 e 2019. Não é por acaso que QB soma 61 sacks em 16 jogos como titular na carreira.

Caso seja realmente negociado pelo Dolphins, o melhor cenário possível para Josh Rosen seria a posição de reserva imediato em uma equipe com QB consolidado e veterano. Mesmo que ele queira brigar pela posição em possíveis destinos como o New England Patriots, seria interessante também ver o jogador se desenvolver atrás de Big Ben em Pittsburgh e substituir o camisa 7 quando ele decidir se aposentar da NFL. De qualquer forma, todos os cenários são melhores do que o atual para Rosen e ele terá que reiniciar mais uma vez na carreira. Mesmo que não consiga espantar o título de “Bust”, ele ainda tem idade e qualidade para dar um novo rumo à sua historia no futebol americano, mas não pode desperdiçar mais uma chance.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.