quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Compartilhe

O jogo das estrelas da NFL começa hoje em Orlando na Flórida, no entanto, só será televisionado para o Brasil no fim de semana. Muito criticado por grande parte do público desde as escolhas dos jogadores até o evento do jogo em si, temo lhe informar que as coisas não devem mudar tão cedo…

Começando pelo menor dos problemas. O Pro Bowl é basicamente um concurso de popularidade. Isso porque a votação dos jogadores é realizada pelo público em geral na internet e não precisa de nenhum critério para ser realizado. Dessa forma, abrindo margem para jogadores medianos, decadentes ou apenas populares jogarem. Figuras importantes que tiveram grandes anos podem acabar sendo esquecidos caso joguem em uma franquia de menor mercado por exemplo, gerando assim, grandes “injustiças”. No entanto, como temos a seleção All-Pro da temporada, esse é um problema contornável. Apesar de também ter suas dúvidas e questões, não podemos negar que ela é mais esclarecedora que o Pro Bowl.

Leia Mais: Mais do que nunca, a arbitragem da NFL está no olho do furacão

Leia Também: O melhor e o pior das Finais de Conferência de 2018/2019

Agora vamos ao evento. Não o jogo, isso fica pro final. Vamos falar do modo como ele vem sendo realizado a alguns poucos anos. A seleção é dividida entre AFC e NFC, que realizam algumas atividades antes da partida final. O famoso “Torneio de habilidades” apesar de ter estreado há pouco tempo, já é a atração mais esperada por muitas pessoas. São diversos exercícios, entre eles, o de recepções dos WRs, precisão dos QBs, uma grande “Olimpíada do Faustão” com um jogador de cada posição e o grande Dodgeball. Sem dúvidas, esse foi o grande acerto da Liga para atrair atenção do público de volta ao evento. Isso porque ele mostra outras qualidades que competem aos jogadores, onde muitas vezes nunca saberíamos devido a todo foco que eles estão sempre impostos em meio a temporada.

Highlights do Torneio de Habilidades 2018:

E finalmente, chegamos ao grande jogo. Como sabemos, Futebol Americano é um dos esportes mais competitivos e intensos do mundo. Não é por nada que só temos 16 partidas por ano na temporada regular. Todo o desgaste que os atletas sofrem não pode ser mensurado, e é praticamente impossível pedir para jogadores que já estão de férias retomem a intensidade da temporada para nos presentear com uma partida competitiva. O que fazer então? Bom, isso realmente não tem resposta ainda, mas a minha sugestão é: Esqueçam competitividade, isso não vai acontecer. A Liga deveria se voltar mais para o lado entretenimento da coisa, torna-lo atrativo por esse motivo e não por uma grande partida em si. Aumentem o contato dos atletas com o público, os tornem mais acessíveis as câmeras. Isso já seria de uma grande ajuda.

No entanto, essa é uma questão que provavelmente não será endereçada pela NFL tão cedo. A audiência do Pro Bowl continua bem grande lá nos EUA. Para se ter uma ideia, a audiência do evento no ano passado foi de 8,6 milhões de pessoas. Já o All Star Game da NBA, dito como de maior sucesso pela crítica, teve apenas 7,6 milhões. Somado ao fato de 2018 ter sido um ano que essa audiência mostrou uma crescente em relação a 2017, não contem com mudanças significativas tão cedo. Roger Goodell e companhia devem estar satisfeitos. Dessa forma, não se deixe levar somente por comentários negativos a competição. Tente Aproveita-la da forma como ela deve ser, um modo de conhecer mais os atletas e apenas se divertir.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.