quinta-feira, 11 de abril de 2019

Compartilhe

Faltando apenas duas semanas para o Draft 2019, as expectativas estão cada vez mais elevadas! Além da costumeira imprevisibilidade, o recrutamento deste ano conta com uma incerteza ainda maior em relação à escolha do Cardinals. E, hoje, o assunto é justamente a divisão que conta com a equipe de Arizona que terá a oportunidade – caso não aconteça alguma negociação – de fazer a primeira escolha no próximo dia 25. Dito isto, vamos a mais um texto de nossa série de prévias com as necessidades das equipes da NFC Oeste.

Los Angeles Rams

Necessidades: LB, OL, CB e DT.

Escolhas: 31, 94, 99, 133, 169, 203 e 251

Com um dos melhores elencos da NFL na última temporada, o Rams justificou a sua condição de favorito ao finalizar a temporada regular com a campanha 13-3, garantindo o título da divisão e chegando ao Super Bowl. Como era de se esperar, até mesmo pela forma que o elenco foi construído, o Rams teve algumas baixas nesta offseason. Dentre as mais relevantes, as saídas dos OLs Rodger Saffold e John Sullivan criam uma necessidade imediata na linha Ofensiva. Além deles, o DT Ndamukong Suh continua como Free Agent, o Safety Lamarcus Joyner se transferiu para o Raiders e o LB Mark Barron jogará no Steelers em 2019.

Leia Mais: Prévia do Draft 2019: NFC Norte

Leia Também: Mock Draft 2.0 – André Oliveira

Para tentar amenizar as perdas, o Rams trouxe na Free Agency alguns nomes interessantes como, por exemplo, o Safety Eric Weddle e o veterano OLB Clay Matthews. Pensando no Draft 2019, a equipe terá, provavelmente, algumas opções interessantes e que preenchem necessidades do elenco na escolha de número 31. No entanto, por não ter escolhas na 2ª rodada e dispor de um número relativamente baixo de picks, uma troca para baixo não deve ser descartada. Em meu mock feito há algumas semanas, a opção sugerida foi o iOL Garrett Bradbury, a mesma escolha foi feita no mock postado esta semana por André Oliveira. Outros nomes que podem ser interessantes a esta altura seriam os LBs Mack Wilson e Devin Bush, ou ainda o do DT Jerry Tillery.

Seattle Seahawks

Necessidades: S, CB, EDGE, OL e WR.

Escolhas: 21, 84, 124 e 159

Antes do início da temporada 2018, o Seahawks era uma das maiores incógnitas da liga. No entanto, a campanha 10-6 e a classificação aos playoffs serviram para provar (mais uma vez) que Pete Carroll é um treinador absolutamente acima da média. Dentro deste mesmo contexto, tivemos a oportunidade de acompanhar mais uma temporada de altíssimo nível do QB Russell Wilson. Pensando na temporada 2019, a equipe de Seattle foi discreta durante a Free Agency, e a saída mais relevante é a do ótimo Safety Earl Thomas. Além dele, o CB Justin Coleman e o OG J.R. Sweezy, dois jogadores bem participativos na última temporada, se transferiram para Lions e Cardinals respectivamente.

Olhando para o Draft, o Seahawks, com apenas 4 escolhas, adoraria ter a possibilidade de trocar uma ou mais destas picks no intuito de acumular mais “munição”. Observando como estão cada vez mais caros os contratos dos bons Free Agents, é fácil concluir que finalizar o Draft (fonte de jogadores de qualidade e baratos) com apenas quatro novos atletas, sobretudo considerando as necessidades no elenco, é, sem dúvidas, algo longe do ideal. Contudo, como sabemos, a intenção de trocar a escolha depende obrigatoriamente de que exista um segundo time interessando nesta negociação. Desta forma, considerando apenas o que temos hoje, a DL, a OL, a secundária e os WRs são setores nos quais carência é inegável. Em minha simulação do Draft, o Seahawks não realiza nenhuma troca na primeira rodada e adiciona o DT Dexter Lawrence. No mock Draft de André Oliveira, o OL Cody Ford foi o escolhido. Outros nomes interessantes na pick 21 seriam os do Safety Nasir Adderley, do WR Hakeem Butler e do DL Rashan Gary.

San Francisco 49ers

Necessidades: S, DT, WR e EDGE.

Escolhas: 2, 36, 67, 104, 176 e 212

Apontado como uma das possíveis sensações da temporada 2018 – muito por conta do desempenho de Garoppolo na reta final do campeonato de 2017 – o 49ers acabou decepcionando. Muito se esperava da parceria Jimmy Garoppolo e Kyle Shanahan, porém a lesão do QB, que participou de apenas três jogos, encerrou prematuramente qualquer ambição maior da equipe de San Francisco.

Na Free Agency, a equipe buscou se reforçar com bons nomes em posições carentes. Dentre as principais adições: o LB Kwon Alexander, o RB Tevin Coleman, o CB Jason Verrett e o WR Jordan Mathews merecem destaque. Além deles, o 49ers adicionou, via troca com o Chiefs, o pass rusher Dee Ford em um movimento muito interessante em uma posição importantíssima.

Desta forma, o 49ers chega ao Draft tendo a 2ª escolha geral do recrutamento e com a possibilidade de escolher o melhor jogador da classe, caso o Cardinals opte pelo QB Kyler Murray. Por estar tão bem posicionado nesta primeira rodada, poucas são as possibilidades ventiladas para a equipe de San Francisco. Em meu mock e no de André Oliveira, a opção foi pelo ótimo pass rusher Nick Bosa. As outras possibilidades já ventiladas nesta escolha são o DT Quinnen Williams e o também pass rusher Josh Allen – esta última sendo uma opção (bem) menos provável atualmente.

Arizona Cardinals

Necessidades: DT, WR, OL, LB e Safety.

Escolhas: 1, 33, 65, 103, 139, 174, 179, 248, 249 e 254

Diferente do mencionado sobre o 49ers, pouco se esperava do Cardinals em 2018. Um elenco em reformulação, um QB novo e muitas carências davam o tom do que viria a ser o ano da equipe do Arizona. A Campanha 3-13 foi um espelho de um time que tem muito pouco a recordar positivamente da temporada passada.

Na Free Agency, o Cardinals fez algumas movimentações interessantes e trouxe reforços relevantes para a temporada. Dentre os nomes que merecem destaque: o LB Jordan Hicks, o OLB Terrell Suggs, o CB Robert Alford, o OG JR Sweezy e o OT Marcus Gilbert; todos jogadores com condições de causar um impacto imediato no frágil elenco da equipe. Dentre as saídas, o OG Mike Iupati, o Safety Antoine Bethea e o DE Markus Golden merecem uma menção.

Olhando para o Draft 2019, o Cardinals é, obviamente, a peça principal do quebra-cabeças que vai definir todo o restante da primeira rodada. A opção que parecia provável no começo do processo do Draft, ou seja, a seleção do melhor atleta da classe, a cada semana foi ficando mais questionável – muito disto por conta de uma sequência de atitudes e declarações de membros da diretoria da equipe. Atualmente, a maioria dos Mocks aponta a escolha do QB Kyler Murray e, com isto, o encerramento (extremamente preciptado) do projeto Josh Rosen no Arizona.

O Draft é fascinante, dentre outros motivos, por sua imprevisibilidade, sendo assim, não seria supressa se o Cardinals optasse por uma seleção mais segura na escolha de número 1. Todavia, em meu mock e no realizado por André Oliveira, a aposta para a escolha da equipe é o QB Kyler Murray. As outras possíveis opções aqui também seriam praticamente as mesmas apontadas para o 49ers, com destaque para o DT Quinnen Williams e o pass rusher Nick Bosa.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.