terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Compartilhe

Com seis técnicos vítimas da famigerada Black Monday e mais dois demitidos ao longo da temporada, a NFL tem oito novas vagas de treinador principal para a próxima temporada. Da mesma forma que os playoffs avançam, as buscas dos times por seus comandantes também. Assim, resolvemos consultar a bola de cristal e tentar prever quais serão os técnicos que acabarão em cada franquia após o ciclo de contratações.

Arizona Cardinals – Kliff Kingsbury

O Cardinals tomou a pouco usual decisão de demitir seu treinador depois de apenas uma temporada. Isto se deu porque Steve Wilks não parecia ser capaz de deixar o time na melhor posição para proporcionar o desenvolvimento desejado para o QB Josh Rosen. Assim, a próxima contratação da franquia deve ser uma mente ofensiva. Nestas condições, um nome que tem ganhado peso é o de Kliff Kingsbury, que era treinador da universidade de Texas Tech, onde conduzia um potente ataque, mas foi demitido após uma sequência de campanhas negativas.

Kingsbury tinha aceitado o cargo de OC de USC nas últimas semanas, antes do interesse da NFL chegar. Por isso, o novo empregador estava o vetando de participar de entrevistas na liga profissional, mas, após ameaças de pedidos de demissão, a universidade decidiu liberá-lo para entrar nos processos seletivos. Dessa forma, Kingsbury está entre os técnicos favoritos na corrida pelo posto de Arizona, com algumas fontes já dando-o como o escolhido prestes a ser anunciado. Outra opção possível é Adam Gase, recém demitido pelo Dolphins, mas com boa experiência tanto como coordenador de ataque quanto como técnico principal, apesar de problemas no gerenciamento de vestiário.

Leia Mais: Conceitos ofensivos do Madden: Smash

Leia Também: Destaques e Decepções da rodada de Wild Card: Domínio das defesas!

Cincinnati Bengals – Hue Jackson

Esta é uma escolha que pode parecer inexplicável ou até maldosa com o Bengals. No entanto, todo o histórico conservador do dono Mike Brown leva a crer que, mesmo após o fim da era Marvin Lewis, a franquia de Cincinnati buscará um nome conhecido. Todos os coordenadores do time foram entrevistados e há muito tempo se fala que Hue Jackson era o nome favorito como sucessor de Lewis no comando da equipe. Assim, ele consegue mais uma chance na NFL, por mais que isto seja inconcebível.

Também não se deve ficar surpreso caso o ex-coordenador defensivo da franquia e recém demitido treinador do Broncos, Vance Joseph, acabe com o cargo. Outra opção é Eric Bieniemy, coordenador ofensivo do Chiefs, que já jogou pelo Bengals e vem da árvore de técnicos de Andy Reid, que quase sempre rende bons frutos.

Cleveland Browns – Freddie Kitchens

O Browns começou a temporada com Hue Jackson como treinador, mas o demitiu após oito jogos. O que se viu então foi uma evolução gritante sob o comando do interino Gregg Williams. Muito disso se deu por conta da promoção de Freddie Kitchens para o posto de coordenador ofensivo. Com o bom final de campeonato, Cleveland convocou seus dois principais técnicos para entrevistas, além de alguns nomes de fora.

O que faz Kitchens ser um nome tão forte nessa corrida é o fato de ter trabalhado muito bem com Baker Mayfield. Ele ajudou o quarterback a se desenvolver e crescer ao longo das semanas enquanto se aclimatava à NFL. Uma mente ofensiva bastante promissora, é do interesse do Browns entregar as melhores condições de evolução para seu QB, o que parece que seria o caminho com a promoção do coordenador ofensivo para o cargo de treinador principal.

Denver Broncos – Mike Munchak

O Broncos encerrou o experimento com Vance Joseph como treinador após ter duas temporadas com mais derrotas que vitórias em sequência pela primeira vez na história da franquia. Com um buraco na posição de quarterback, mas um elenco que possui talento para competir, o time busca o seu novo capitão. Segundo informações de Ian Rapoport, Mike Munchak surgiu como o favorito para assumir o posto.

Munchak é um ex-jogador de elite, que possui um busto no Hall da Fama por seu trabalho como guard. Além disso, tem quase 20 anos de experiência como treinador de linha ofensiva, incluindo uma das melhores unidades da liga no Steelers ao longo das últimas cinco temporadas. Ele também já possui histórico prévio como técnico principal no Tennessee Titans, que comandou por três anos, com campanha de 22-26. Uma outra opção aqui pode ser Vic Fangio.

Green Bay Packers – Matt LaFleur

Aqui entra a primeira contratação já encaminhada dessa leva. Com um nome como Aaron Rodgers servindo como atrativo para o cargo, o Packers poderia escolher entre as melhores opções disponíveis após terminar um casamento de quase 13 temporadas com Mike McCarthy. Conforme Adam Schefter reportou na noite desta segunda, o time encontrou seu sucessor em Matt LaFleur.

Coordenador ofensivo do Tennessee Titans em 2018, LaFleur tem um longo histórico de trabalhar ao lado de mentes ofensivas renomadas. Ele atuou ao lado de Kyle Shanahan durante muitos anos, sendo inclusive o treinador de quarterbacks do Falcons no ápice do ataque. Em 2017 passou a temporada como coordenador ofensivo de Sean McVay no Rams. Todo esse histórico lhe rendeu uma reputação promissora, apesar de seu trabalho no Titans, que foi o primeiro no qual chamou jogadas, não ter atingido o esperado.

Esta foi uma contratação inesperada e o Packers agiu rápido para encontrar seu treinador. Agora, fiquemos de olho para ver qual a comissão técnica que será formada.

Miami Dolphins – Eric Bieniemy

Como já foi dito no trecho sobre o Bengals, Bieniemy é um nome bem cotado por conta de seu vínculo com Andy Reid. A grande incógnita aqui se dá pela falta de experiência como coordenador ofensivo e pelo histórico conturbado fora do campo da época de jogador e quando foi parte da comissão técnica da universidade do Colorado. Outro nome que aparece forte nessa briga é o próprio coordenador do time de especialistas da equipe, Darren Rizzi, que é muito elogiado por seus jogadores e tem uma boa experiência na NFL.

Também se especula que o Dolphins seria um dos times dispostos a tentar uma troca por John Harbaugh, treinador do Ravens, caso ele esteja disponível. No entanto, Harbaugh tem mais um ano de contrato e Baltimore parece satisfeito com seu trabalho até aqui, o que deve dificultar que algum acordo seja alcançado.

New York Jets – Mike McCarthy

Demitido do Packers no meio de sua décima terceira temporada no comando do time, McCarthy tem um Super Bowl e diversas aparições nos playoffs no currículo. Um técnico vitorioso, com retrospecto de 125-77-2 na carreira, e de larga experiência, dificilmente ficará sem um emprego após este ciclo de contratações. Neste momento, tudo indica que ele está atraído pela possibilidade de trabalhar com um quarterback jovem e promissor. Entre as opções disponíveis, fez entrevistas com Browns e Jets. Assim, optamos por proporcionar o casamento dele com New York, onde poderá participar ativamente do desenvolvimento de Sam Darnold. Kliff Kingsbury, que foi citado como nome possível para o Cardinals, também deve ser entrevistado e corre por fora.

Tampa Bay Buccaneers – Bruce Arians

Em uma contratação dada quase como certa, Bruce Arians deve retornar à NFL após um ano como analista na TV para comandar o Buccaneers. Ao longo de seu breve período “aposentado”, ele declarou que apenas oportunidades muito específicas o fariam voltar para a lateral do campo. Parece que uma destas surgiu quando o Bucs demitiu Dirk Koetter ao término da temporada.

Caso o acordo se confirme, Arians poderá trabalhar com Jameis Winston, em uma união que parece fazer muito sentido por conta da mentalidade muito agressiva de ambos dentro de campo. Com um ataque recheado de peças interessantes, o treinador poderá fazer com que o QB finalmente atinja o potencial esperado.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.