quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Compartilhe

winston-mariota

Antes do Draft deste ano, era grande a expectativa para descobrir quais seriam os primeiros jogadores a serem selecionados. O Tampa Bay Buccaneers e o Tennessee Titans eram os donos das duas primeiras escolhas e precisavam urgentemente de um QB para começar uma reconstrução e voltarem a ter glórias na NFL. Durante suas carreiras universitárias, tanto Jameis Winston quanto Marcus Mariota mostraram capacidade para liderarem um ataque profissional, até por isso levaram para a casa o Heisman Trophy (algo como o MVP da NCAA) – Winston em 2013 e Mariota em 2014. Na NFL, caminhando para a reta final da temporada, os dois já alternaram grandes atuações e outras nem tanto, por isso consideramos o momento apropriado para fazer uma comparação entre eles. Não vamos analisar as características dos atletas, até porque já fizemos isso de forma bem detalhada antes do Draft. É difícil bater o martelo e afirmar quem é o melhor, o futebol americano é um esporte coletivo e por melhor que o QB seja ele não consegue vencer jogos sozinho. Vamos olhar para as partidas de cada um nesse ano e tentar responder essa pergunta.

A dupla de QBs calouros se enfrentou logo no abertura da temporada regular na partida realizada na Flórida. O resultado final foi um verdadeiro domínio do Titans para cima do time da casa e com Marcus Mariota em um dia inesquecível. Foram 13/15 passes completados, 209 jardas aéreas, 4 TDs, 0 INTs e um raro “jogo perfeito” para ele. Enquanto Jameis Winston terminou o jogo 16/33 em passes, 210 jardas aéreas, 2 TDs e 2 INTs. É claro que uma partida é muito pouco para avaliar os dois, então vamos analisar a temporada de cada um individualmente.

marcus-mariota-titans

Começando por Marcus Mariota, a 2ª escolha geral do Draft de 2015 e ex-QB da universidade de Oregon, que sempre mostrou ser um atleta muito calmo, inteligente e que sabe exatamente o que está fazendo dentro de campo. Ele assumiu a difícil tarefa de comandar o ataque do Tennessee Titans; o jogo terrestre não passava segurança, existia apenas um alvo de confiança entre os recebedores e a linha ofensiva tinha alguns sérios problemas. A franquia precisava se reconstruir e escolheu Mariota para montar um elenco de qualidade ao seu redor. Como já falamos, o primeiro jogo dele como profissional foi perfeito, mas como todo QB calouro, o jovem atleta cometeu alguns erros durante os jogos do Titans ao longo do ano.

Na terceira rodada, contra o Indianapolis Colts, o time de Tennessee teve a vantagem durante praticamente todo o duelo, mas duas INTs de Mariota no final da partida fizeram com que o Colts saísse com a vitória por 35 a 33. A história se repetiu contra o Buffalo Bills, na semana 5, em uma derrota de 14 a 13, onde o calouro teve a pior partida dele em termos de números e não foi capaz de levar a vitória para a casa. Dos dez jogos no ano, Mariota não participou de dois por causa de lesão e, mesmo estando apenas no primeiro ano de NFL, a equipe sentiu sua falta e anotou apenas 13 pontos nesse período. Logo na partida em que voltou, o QB do Titans teve outra atuação espetacular, dessa vez contra o New Orleans Saints: 28/39 em passes, 4 TDs, 0 INTs e vitória na prorrogação por 34 a 28.

Em sua primeira temporada na liga profissional, Marcus Mariota está com dificuldades, mas vamos combinar que jogar em uma equipe com um ataque em construção logo no primeiro ano da carreira não é lá uma das tarefas mais fáceis na NFL. O jogo terrestre da franquia ainda não engrenou, a linha ofensiva até melhorou um pouco do início da temporada para cá e apenas o TE Delanie Walker está se destacando entre os recebedores – um cenário não muito diferente do que existia antes do início da temporada. Até agora, em oito partidas disputadas, o QB do Titans tem 65,3% de aproveitamento nos passes, 2.026 jardas aéreas, 13 TDs, 6 INTs, 2 vitórias – sobre Buccaneers e Saints – e 6 derrotas – para Browns, Colts, Bills, Dolphins, Panthers e Jaguars.

jameis-winston-buccaneers

Enquanto isso, Jameis Winston, 1ª escolha geral do Draft desse ano e ex-QB de Florida State, que se destacou por ser igualmente inteligente e ter uma experiência maior em um esquema profissional, não iniciou o ano da forma como imaginava. O Tampa Bay Buccaneers sofreu por alguns anos com uma linha ofensiva sofrível, o jogo terrestre tinha Doug Martin parecendo estar em decadência, mas, em compensação, os recebedores eram bons o suficiente para dar o suporte necessário a um QB. Nos cinco primeiros jogos como profissional foram 7 TDs e 7 INTs para Winston, mas desde então ele conseguiu corrigir os problemas que vinha tendo, o ataque, de uma maneira geral, melhorou bastante em todos os sentidos e a equipe está no melhor momento da temporada.

Nas dez partidas que disputou nessa temporada, Jameis Winston conseguiu 5 vitórias – sobre Saints, Jaguars, Falcons, Cowboys e Eagles – e 5 derrotas – para Titans, Texans, Panthers, Redskins e Giants. Na última rodada ele teve a grande atuação do ano até aqui. Jogando na Philadelphia contra o Eagles, a equipe dominou o jogo e em nenhum momento foi ameaçada, Winston terminou 19/29 em passes, 246 jardas aéreas, 5 TDs e 0 INTs. O Buccaneers, em poucas semanas, entrou na briga pelos playoffs e atualmente é a 7ª melhor franquia na NFC, isso graças a defesa que está jogando em alto nível, ao jogo terrestre dominado pelo RB Doug Martin e, é claro, as boas atuações de Jameis Winston, que finalmente parece ter se entrosado com os WRs Mike Evans e Vincent Jackson. Até agora, o jovem QB tem 58,3% de aproveitamento em passes – o que não é tão bom –, 2.405 jardas aéreas, 15 TDs e 9 INTs. Além disso, o atleta é considerado um líder pelos companheiros, mesmo em no primeiro ano como profissional, essa é uma característica de grandes QBs, e Winston está no caminho certo.

Como vimos, logo no início da temporada Marcus Mariota foi melhor, mas desde a semana 6 Jameis Winston está em grande fase e leva vantagem sobre o seu “rival” nessa temporada. Porém, os dois ainda são jovens, estão no primeiro ano de NFL, precisam melhorar em alguns aspectos e é um pouco cedo demais para afirmar quem é “o melhor”. Sem dúvida nenhuma os dois serão grandes jogadores na liga profissional, mas não vamos apressar as coisas.

Depois de ouvirmos os nomes de Jameis Winston e Marcus Mariota sendo chamados nas duas primeiras escolhas do Draft desse ano, era quase inevitável não se lembrar do processo de seleção de 2012, quando Andrew Luck e Robert Griffin III foram escolhidos por Indianapolis Colts e Washington Redskins, respectivamente. Durante todo aquele ano, em toda partida alguém fazia uma comparação entre os dois e a discussão sobre quem era melhor se alongou até o último momento possível. RGIII teve, possivelmente, a melhor temporada de um QB calouro que a NFL já viu e foi eleito o “Offensive Rookie of the Year”, mas sofreu com lesões e hoje em dia não está sendo nem relacionado para as partidas do time. Andrew Luck soma três temporadas seguidas indo ao Pro Bowl e três títulos de divisão, mas nesse ano está lutando com lesões que o impedem de estar 100% em campo. Esse exemplo, assim como vários outros, é ótimo para não tomarmos decisões precipitadas. Nesse momento Winston está melhor, mas tenha calma antes de cravar que ele terá mais sucesso que Mariota.

Compartilhe

Comments are closed.