quinta-feira, 16 de maio de 2019

Compartilhe

Recentemente o até então melhor TE da liga, Rob Gronkowski, anunciou sua aposentadoria. Com isso, alguns nomes surgem à tona como possíveis sucessores do posto vago, alguns com certo favoritismo e experiência, outros embalados por uma última temporada muito boa.

Essa análise será feita com base no que os jogadores fizeram em suas carreiras e como, a partir da próxima temporada, vão se portar sem o Gronk como concorrente.

Leia Mais: Chargers caminha a passos largos para vencer primeiro Super Bowl de sua história

Leia Mais: Joe Flacco, Drew Lock e o papel do Quarterback veterano na NFL

Travis Kelce

Resultado de imagem para travis kelce 1200x800

O primeiro nome, e favorito de muitos para o cargo, é o TE do Kansas City Chiefs. Em suas 5 temporadas como titular da equipe do Missouri, Kelce alavancou excelentes números, tendo passado das 1000 jardas nas 3 últimas – e por alguns minutos segurou o recorde de mais jardas recebidas em uma temporada por um tight end na história.

Durante a temporada de 2014, o camisa 87 provou seu valor, uma vez que nenhum WR do time recebeu um passe para touchdown sequer, deixando, desse modo, Travis surgir como principal arma ofensiva nesse, e nos anos que estavam por vir, sendo pro bowler em todos os anos desde 2015 e 1st team all pro em 2016 e 2018.

Um fator que coloca Kelce como favorito nessa discussão é que ele já é um jogador com alguns anos de liga, ou seja, coordenadores defensivos têm muito do seu tape para assistir e entender seus preferencias e tendências em campo, e, ainda assim, ele parece estar sempre livre para receber os passes devido a sua habilidade refinada em correr rotas com extrema precisão. Além disso, o QB com que o TE joga é nada menos que o atual MVP da liga e maestro do mais explosivo ataque aéreo visto nos últimos anos, Patrick Mahomes.

Sendo assim, a vantagem da experiência e de ter um ataque forte a sua volta é de Travis Kelce nesta disputa.

Zach Ertz

Resultado de imagem para zach ertz 1200x800

Um segundo nome que vem forte é o do jogador do Eagles. Escolhido no segundo round do draft de 2014, antes mesmo de Travis Kelce, que foi escolhido no terceiro, o camisa 86 teve um início mais lento na sua carreira, dividindo bastante espaço com Brent Celek, mas que depois foi mostrando, de fato, que merecia o posto de tight end número 1 da equipe.

Desde 2015 como titular, o TE teve boas temporadas, chegando ao ápice que foi a temporada passada. Zach Ertz foi o principal recebedor da equipe com folga, ainda que o depth chart contasse com nomes como Alshon Jeffrey e Golden Tate ao final da temporada. Mostrou isso ao bater o recorde de mais recepções e passes em sua direção para um TE em uma temporada, com 116 e 154 respectivamente. O jogador de Philadelphia também foi pro bowler em 2017 e 2018.

Assim como qualquer jogador da NFL, Ertz também já sofreu com lesões, todavia, o atual QB de sua equipe, Carson Wentz, acabou por perder bastantes jogos nas últimas temporadas por esse problema, e com isso, consequentemente, todo um ataque cai de produção, mesmo que o TE tenha continuado em altíssimo nível mesmo com o QB reserva em campo – que convenhamos, era um QB reserva campeão de Super Bowl. Agora sem Foles na equipe e com as defesas com um olho ainda mais atento a movimentação do tight end, caso Wentz sofra nova lesão, é possível que haja uma queda de produção, mas não por culpa do Zach Ertz, mas por fatores além dele.

George Kittle

Resultado de imagem para george kittle 1200x800

O mais quente dentre os citados, o jogador do San Francisco 49ers vem de uma das melhores temporadas vistas nos últimos anos para um TE ao observarmos as circunstâncias.

Escolha de quinta rodada no draft de 2017, Kittle rapidamente foi mostrando que seria o grande TE que o Niners estava acostumado a ter desde a saída de Vernon Davis, além de ser a cara da reconstrução iniciada por John Lynch e Kyle Shanahan. Numa temporada de calouro em que o time sofreu muito em todos os aspectos da bola, o ex Iowa Hawkeyes ainda conseguiu bons números de jardas por recepção, com 12. Porém, foi na temporada passada que o camisa 85 surgiu para a liga, e para o mundo, mais do que dobrando o número de targets e recepções, George Kittle bateu o recorde de Rob Gronkwoski, que havia sido superado minutos atrás de Kittle bater por Travis Kelce, de mais jardas recebidas por um TE em uma temporada, com impressionantes 1377, além de 15.6 jardas por recepção.

Além de bater o recorde de jardas em uma temporada, Kittle ficou a 5 jardas de bater o recorde de Shannon Sharpe de mais jardas recebidas em um único jogo, na semana 13 contra o próprio Denver Broncos em que Sharpe fez história. Kittle teve 210 jardas, todas no primeiro tempo, enquanto o recorde era de 214 jardas.

O maior detalhe de toda essa temporada fenomenal de George, é que foi praticamente jogada com QBs reservas. Jimmy Garoppolo se machucou na semana 3 da temporada regular, sendo assim, CJ Beathard, companheiro de Kittle em Iowa, foi titular por alguns jogos até a semana 9, em que Nick Mullens, jogador que estava somente no time de treinamento da equipe, assumiu a titularidade e foi até o final da temporada. Portanto, se Kittle teve atuações nesse nível jogando com QBs claramente limitados, tem-se um grande ponto de interrogação e exclamação para vermos como será com o QB titular jogando por todos os 16 jogos.

Menções honrosas (e surpresas):

Kyle Rudolph: o ótimo atleta do Vikings tem tido boas temporadas recentes e é um complemento excelente ao grupo de WRs da equipe. Em Cousins, o veterano TE tem um QB que pode elevar ainda mais seus números, visto que, estatisticamente, o ataque de Minnesota tende a evoluir.

Eric Ebron: o agora jogador do Colts teve uma temporada de restauração de sua carreira em 2018. Décima escolha geral do draft de 2014 para o Lions, Ebron era tido como um excelente prospecto e o futuro para posição. Todavia, lesões e atuação ruins o fizeram não desempenhar o que era esperado para ele na equipe de Michigan. Já na franquia de indiana, a parceria com Andrew Luck pareceu efetiva, tornando o criticado TE no líder em TDs para a posição, além de pro bowler.

Hunter Henry: o jovem TE do Chargers foi selecionado na segunda rodada do draft de 2016 para ser o substituto do lendário Antonio Gates. Com dois anos mornos, era esperado que em 2018, em plena titularidade, Henry fosse brilhar junto do talentoso ataque de seu time, mas uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho fez com que ele ficasse de fora da ótima campanha do Chargers. Já demonstrou ter a habilidade, e em 2019 pode começar colocar isso em campo.

OJ Howard, David Njoku e TJ Hockenson: Três jovens com muito jogo a ser explorado no decorrer das próximas temporadas, mas que tem tudo para estar na briga também.

Dito isso, quem vocês acham que assumirá o trono de melhor TE a curto e em longo prazo?

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui

Compartilhe

Comments are closed.