sábado, 21 de novembro de 2020

Compartilhe

A temporada da NFL passa voando e já estamos em sua metade final e decisiva, mas antes de voltarmos totalmente as atenções para a semana 11, vamos conferir quais calouros se destacaram de maneira positiva ou negativa, na rodada de número 10, com o Rastreando Draftados: BRILHARAM

Ataque  

WR Justin Jefferson (MIN): 8 recepções para 135 jardas.

22ª escolha geral (1ª rodada) Depois de vir de dois jogos mais discretos, Justin Jefferson voltou a ter uma grandiosa exibição e dessa vez em prime time, em pleno Monday Night Football diante da ótima defesa do Chicago Bears. O recebedor foi o grande playmaker e diferencial do ataque do Vikings, já que dessa vez Dalvin Cook foi muito bem contido. Mesmo trabalhando contra ótimos marcadores, como Kyler Fuller, Eddie Jackson e Jaylon Johnson, o calouro teve grande produção e volume, tendo 10 alvos em sua direção, com 8 recepções para 135 jardas, incluindo uma recepção de 54 jardas.

Nessa altura, Jefferson já comprovou que é muito mais do que apenas um slot receiver, diferente do que alguns acreditavam no processo pré-draft, o novato se encaminha para uma das maiores temporadas da história de um WR em seu primeiro ano, já tendo até o momento 42 recepções para 762 jardas (18,1 AVG) e 3 touchdowns, sendo o sétimo em jardas totais recebidas na liga e o grande candidato ao prêmio de calouro ofensivo do ano, com exceção ao quarterbacks.

Leia Mais: Ep #11 NFL – Tática Liga dos 32

Leia Também: Cam Newton pelo ar: análise da jogada

RB D’Andre Swift (DET): 16 tentativas de corrida para 81 jardas; 5 recepções para 68 jardas e 1 touchdown.

35ª escolha geral (2ª rodada)  D’Andre Swift teve sua melhor atuação da carreira até aqui e isso definitivamente não foi por acaso, uma vez que o running back finalmente teve um acréscimo considerável de seu volume de jogo, alcançando suas maiores marcas em porcentagem de snaps jogados (73%), tentativas de corridas (16) e alvos e recepções (5), conseguindo assim a impressionante marca de 149 jardas totais. Depois de um início conturbado e com algumas adversidades, o calouro se recuperou e já é uma das peças fundamentais do ataque de Detroit, mesmo tendo que conviver e combater a teimosia do coaching staff que tanto insistiu em dividir esse backfield.

Contudo, infelizmente Swift ficará de fora da próxima partida com um problema de concussão, algo que pode o tirar até mesmo do jogo seguinte, já que o intervalo será curto, atrapalhando o seguimento de seu bom momento e voltando a deixar o backfield do Lions dividido, pelo menos temporariamente, já que o novato mostrou ser, de longe, a melhor e mais produtiva arma da equipe no setor. Menções honrosas: QB Tua Tagovailoa (MIA), RB James Robinson (JAX), RB Antonio Gibson (WAS), RB Salvon Ahmed (MIA), WR Tee Higgins (CIN), WR Michael Pittman Jr. (IND), WR Chase Claypool (PIT), WR Brandon Aiyuk (SF), WR Isaiah Wright (WAS), G Ezra Cleveland (MIN), G/T Michael Onwenu (NE), T Tristan Wirfs (TB) e T Jedrick Wills (CLE).

Defesa

DT Raekwon Davis (MIA): 7 tackles totais.

56ª escolha geral (2ª rodada) Dominante! Essa talvez seja a melhor definição para a grande atuação de Raekwon Davis contra o Los Angeles Chargers. Assumindo uma função diferente da qual fazia em Alabama, jogando agora mais como nose tackle e 1-Tech, ele liderou a equipe em tackles totais e dominou o interior da linha ofensiva do Chargers, parando corridas (3 runs stops) e destruindo jogadas. Ainda assim, provavelmente sua melhor jogada sequer apareceu nas estatísticas, que foi numa situação de terceira para o goal, dentro da linha de 5 jardas, onde abriu o gap, estourou o backfield e mesmo não conseguindo finalizar a jogada, permitiu que seus companheiros assim fizessem. Com essa performance, a tendência é que Davis siga ganhando mais espaço e snaps na equipe, devendo vir a ser mais um dos muitos novatos que estão contribuindo diretamente para a ótima campanha do Miami Dolphins.

OLB Terrell Lewis (LAR): 2 tackles totais e 2.0 sacks.

84ª escolha geral (3ª rodada) Mesmo lidando com problemas físicos e leões desde que foi selecionado no draft de 2020, Terrell Lewis tem mostrado flash animadores no pouco tempo que esteve em campo, o que culminou na boa oportunidade conquistada diante do Seahawks, quando teve seu maior número de snaps em um jogo (28) e conseguiu causar muito impacto, com 2 sacks sobre Russell Wilson, uma pressão e ainda 2 runs stops. Dessa maneira, Lewis se tornou o primeiro calouro dessa classe a conseguir pelo menos dois sacks em uma única partida, se colocando na posição de ver sua carga de trabalho aumentar e ter um papel ainda mais relevante na rotação da defesa do Rams.

Menções honrosas: DT Javon Kinlaw (SF), DT DaVon Hamilton (JAX), DT Bravvion Roy (CAR), DE D.J. Wonnum (MIN), DE Yetur Gross-Matos (CAR), LB Josh Uche (NE), CB Jeff Gladney (MIN), CB C.J. Henderson (JAX). S Julian Blackmon (IND), S Kamren Curl (WAS), S Kyle Dugger (NE) e S Brandon Jones (MIA).

DECEPCIONARAM

LB Patrick Queen (BAL): 9 tackles totais e 1 TFL.

28ª escolha geral (1ª rodada) Patrick Queen segue na sua toada de irregularidade, alternando entre ótimos momentos, que já o colocaram inclusive como favorito na disputa do prêmio de calouro defensivo do ano, com momentos bem ruins, como foi no Sunday Night Football contra o New England Patriots. Mesmo bem posicionado, o jogador se perdeu, não conseguiu rastrear a bola e permitiu o TD anotado por Rex Burkhead numa trick play que foi o grande destaque da partida. Além disso, o linebacker não foi efetivo contra o jogo corrido, conseguindo a maior parte de seus tackles após o estrago já ter sido feito, principalmente pelo RB Damien Harris. O calouro foi presa fácil recorrente dos bloqueios em segundo nível do adversário e pouco conseguiu fazer para sair deles ou mesmo auxiliar de maneira competente nas poucas situações de cobertura em que foi chamado.

QB Justin Herbert (LAC): 20 de 32 passes completos para 187 jardas, 2TDs e 1 interceptação; 4 tentativas de corrida para 10 jardas e 1 TD.

6ª escolha geral (1ª rodada) Justin Herbert teve de longe o seu pior jogo da carreira até aqui e não fosse o TD anotado por Keenan Allen, no “garbage time”, isso teria ficado ainda mais refletido no placar, pois o Chargers nunca teve chances reais contra o Miami Dolphins. Herbert sofreu pressão o jogo inteiro e diferentemente das últimas semanas, não conseguiu prevalecer e usar seu braço talentoso para explorar o fundo do campo. Parte desse desempenho é muito mérito da excelente defesa de Miami, que por muitas vezes confundiu o calouro e o limitou não apenas nas ações, mas nas leituras pré-snaps e consequentemente nas chamadas. Não há necessidade de reações exageradas aqui, foi um mau jogo, mas totalmente normal e que não diminui a boa temporada que faz o QB e sua “liderança” na disputa pelo prêmio de calouro ofensivo do ano.

Menções desonrosas: DE Chase Young (WAS), LB Kenneth Murray (LAC), S/LB Jeremy Chinn (CAR), QB Joe Burrow (CIN), RB Jonathan Taylor (IND) e RB Zack Moss (BUF).

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.  

Compartilhe

Leave A Reply