segunda-feira, 25 de março de 2019

Compartilhe

Rob Gronkowski é oficialmente um ex-jogador da NFL. O lendário TE do New England Patriots anunciou a prematura decisão de se aposentar do futebol americano na noite do último domingo (24) em seu perfil no instagram, agradecendo o carinho dos torcedores, diretoria e companheiros de equipe e refletindo sobre os seus gloriosos nove anos de carreira na Nova Inglaterra. Prejudicado por uma série de lesões durante toda a sua trajetória, “Gronk” decidiu deixar o esporte mais cedo que o habitual, se despedindo logo após o seu terceiro título do Super Bowl.

Dentro de campo, o camisa 87 foi dominante como poucos atletas de sua geração. Draftado em 2010 pelo Patriots, Gronkowski rapidamente se tornou uma das armas favoritas de Bill Belichick e Tom Brady, sendo peça fundamental de uma caminhada vitoriosa construída por New England desde o seu recrutamento, chegando ao Super Bowl em cinco oportunidades e vencendo em três delas. O saldo final da carreira do TE apenas ratifica o seu talento: 79 TDs recebidos (3ª melhor marca da história entre jogadores com menos de 30 anos), 80 TDs no total (Maior marca da história do Pats), 521 recepções, 7,881 jardas totais e quatro escolhas para o Pro Bowl na posição de titular.

Leia Mais: Prévia do Draft 2019: AFC Leste

Leia Também: O Pittsburgh Steelers precisa ser cirúrgico no Draft para ser competitivo em 2019

Outro mérito que pode ser colocado na conta de Gronkowski é o fato de que, a partir do seu sucesso e domínio completo, a posição de TE passou a ganhar um olhar diferenciado. Além da função primária de bloquear e receber passes curtos, o novo perfil do Tight End da NFL contempla também capacidade atlética e talento para receber touchdowns. Gronk tornou a posição divertida, foi um verdadeiro pesadelo para Linebackers que tentaram marcá-lo e construiu a sua trajetória como uma máquina de fazer TDs. Em apenas 9 anos de carreira, o camisa 87 se tornou uma referência e redefiniu a função do TE, mudando a NFL para sempre. Não é exagero algum considerá-lo o 2º maior atleta da história do Patriots, logo atrás de Brady.

Além da sua incrível capacidade de decidir dentro de campo, Gronkowski era também um craque fora dele. Sua personalidade não combinava com a seriedade quase robótica do New England Patriots e do seu treinador, mas ele sabia separar a sua vida fora dos gramados –  recheada de momentos engraçados e às vezes até bizarros –  dos seus deveres como atleta profissional, se mantendo atualizado e em forma do 1º ao último dia dentro da liga. Gronk era um adolescente preso dentro do corpo de um jogador de futebol americano, mas sempre atuou com a maturidade e a inteligência que apenas os craques conseguem demonstrar. Era impossível não simpatizar com o 87, amado e admirado até por torcedores de outras equipes.

A Prematura de decisão de se aposentar

Por mais legítimos que sejam os motivos que levaram Gronkoswki a se aposentar do futebol americano, é incomum ver um atleta tão dominante se retirar do esporte tão cedo. Se dentro de campo era quase impossível contê-lo, fora dele o TE sofreu bastante com as lesões, principalmente nas temporadas de 2013 e 2016, quando atuou em menos da metade dos jogos disputados por New England. Ainda assim, se manteve em alta até o que seria o seu último jogo na NFL, fazendo a principal recepção do último Super Bowl e abrindo o caminho para o 6º título do Patriots em Atlanta.

Getty Images

Publicamente, o jogador sempre deixou claro a sua intenção de se afastar do esporte mais cedo que o habitual. Atuar com a agressividade que Gronk atuava, em uma das funções menos luxuosas do futebol americano, exige do atleta o tipo de esforço físico e mental que, depois do algum tempo, torna inviável o seu completo funcionamento como esportista e ser humano no dia a dia. Em muitas oportunidades, os jogadores decidem continuar até não aguentarem mais, mas Gronkowski preferiu não dar sorte ao azar e se despediu do esporte de forma madura.

Uma vaga entre os melhores jogadores da história do New England Patriots já é dele e a sua nomeação para o Hall da Fama da NFL é apenas uma questão de tempo. Entre os atletas da posição, Gronkowski foi o mais completo e dominante e o legado construído pelo camisa 87 será eterno. Sua personalidade cheia de vida deixará saudades e a NFL certamente perde sem um dos jogadores mais completos da sua geração. Pronto para decidir o próprio passo da sua carreira, Gronk terá para sempre o carinho dos fãs do futebol americano, que por conta de atletas como ele seguem se apaixonando cada vez mais pelo esporte.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.