segunda-feira, 15 de julho de 2019

Compartilhe

Após uma novela que já se arrastava para um segundo capítulo em 2018, o San Francisco 49ers decidiu pôr um fim à mesma e trocou por Jimmy Garoppolo, enviando uma escolha de segunda rodada no Draft de 2018 ao Patriots. O QB, considerado por muitos como o sucessor de Brady em New England, chegaria para tentar resolver o problema na posição mais importante do jogo em San Francisco. A franquia carecia de um quarterback desde o bom momento de Colin Kaepernick entre as temporadas de 2012 e 2013.

Garoppolo fez apenas seis partidas na temporada de 2017, mas deixaria uma boa impressão para o ano seguinte. Até porque nas partidas em que ele iniciou como titular, os 49ers não perderam nenhum jogo. Em 2018, as coisas se encaminhavam para uma boa temporada. Kyle Shanahan, coordenador ofensivo do Falcons em 2017, chegou para ser o treinador principal da franquia após comandar o melhor ataque da temporada e ajudar Matt Ryan a levar o prêmio de MVP. Na segunda temporada do treinador à frente do 49ers, todos estavam animados para ver o que a dupla Shanahan-Garoppolo seria capaz de produzir em 2018.

Leia Mais: A magia de Nick Foles funcionará no Jacksonville Jaguars?

Leia Também: Como chegam as franquias com piores campanhas de divisão em 2018

Mas o que nem mesmo o torcedor mais pessimista da franquia de San Francisco esperava aconteceu. Jimmy Garoppolo se lesionou no terceiro jogo da temporada e todo o planejamento foi por água abaixo precocemente. C.J. Beathard e Nick Mullens o substituiram com o segundo tendo alguns momentos interessantes, como na impressionante vitória sobre o Seahawks, mas não conseguiu evitar o péssimo desempenho da equipe na temporada de 12 derrotas e apenas 4 vitórias, o que levou San Francisco a ter a segunda escolha geral no Draft de 2019.

Escolha essa que foi utilizada para selecionar o melhor EDGE da classe de 2019, Nick Bosa, irmão do também EDGE Joey Bosa, atualmente no Chargers. O calouro chega para contribuir desde a primeira semana e ser um bom complemento à DeForest Buckner e ao recém contratado Dee Ford, que chegou via free agency após boa temporada pelo Chiefs. A linha defensiva de San Francisco promete para 2019 e deve gerar muitos sacks. A secundária deveria ter sido endereçada no Draft, pois conta com poucos jogadores capazes de contribuir em alto nível. Este poder ser o calcanhar de Aquiles da equipe em 2019.

No ataque, George Kittle foi uma grata surpresa na temporada passada. O segundanista quebrou o recorde da liga de mais jardas recebidas por um TE com 1377, além de ser o primeiro jogador da posição a liderar o ranking de jardas após a recepção por jogo com 870. A equipe também selecionou o WR Deebo Samuel, que atua no slot e tem características que Shanahan gosta, como velocidade e capacidade de conseguir jardas após a recepção. Porém, com nomes ainda disponíveis como D.K. Metcalf, fica o questionamento se a escolha poderia ter sido melhor.

A equipe possui uma linha ofensiva sólida e adicionou o RB Tevin Coleman ao seu grupo de corredores para melhorar o jogo terrestre. Coleman vem de boas temporadas no Falcons recebendo passes no sistema de Shanahan e deve ajudar Garoppolo a aliviar a pressão vinda das linhas defensivas adversárias. Garoppolo vem treinando com Tom House, treinador de quarterbacks que ajudou nos fundamentos de jogadores como Drew Brees, Carson Palmer, Matt Ryan e Tom Brady. Isso mostra a ética profissional que o QB apresenta e mostra que ele quer dar a volta por cima na temporada que se aproxima. O 49ers não tem muitas expectativas para 2019, mas é uma equipe que pode surpreender. A ver.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

 

Compartilhe

Comments are closed.