quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Compartilhe

jason-witten-TE-liga-dos-32

Já estamos caminhando para a segunda semana de jogos da temporada regular da NFL, mas antes disso é importante voltarmos até a primeira rodada para destacar um ponto curioso. Estamos acostumados a sempre ver os QBs, RBs ou WRs serem as estrelas do ataque de uma equipe em um jogo, porém, o que vimos na semana 1 foi um alto número de TEs sendo decisivos para as suas franquias e ajudando a vencer partidas. Não foi apenas a estrela Rob Gronkowski (New England Patriots) – 5 recepções para 94 jardas e 3 TDs – que foi bem na última rodada, tivemos várias surpresas da posição se tornando a peça mais efetiva, para você ter uma noção, foram 22 TDs de TEs na semana 1, enquanto os WRs somaram 21 TDS, um número incrível se levarmos em conta que existem mais recebedores do que TEs na NFL.

LEIA MAIS: Qual é o limite para Rob Gronkowski?

Começando pelos veteranos, Jason Witten (Dallas Cowboys) é o alvo de confiança de Tony Romo desde que o QB virou titular na NFL e para começar a temporada de 2015 não poderia ser diferente. Com 8 recepções ele foi o líder do time no quesito, teve 60 jardas recebidas e ainda anotou 2 TDs, sendo que o um deles aconteceu faltando apenas sete segundos para o fim da partida, o que mostra que o TE continua sendo peça importantíssima para a franquia de Dallas. Witten ganhará ainda mais importância nas próximas partidas, já que o WR Dez Bryant sofreu uma fratura no pé e ficará fora de, no mínimo, quatro jogos. Outro velho conhecido dos fãs de futebol americano que foi muito bem na primeira rodada é Heath Miller (Pittsburgh Steelers), jogador de grande sucesso ao lado do QB Ben Roethlisberger. Mesmo sem a vitória no primeiro duelo do ano, o TE ajudou bastante a equipe de Pittsburgh com suas 8 recepções e 84 jardas recebidas, só o grande WR Antonio Brown foi melhor no time. Como sempre, Miller continuará sendo a válvula de escape da equipe em momentos difíceis, com mais uma partida sem o RB Le’Veon Bell e mais três jogos sem o WR Martavis Bryant, o TE deve receber uma quantidade maior de passes e ser mais decisivo ainda.

LEIA TAMBÉM: TOP 10 – Tight Ends

travis Kelce

Porém, nenhum dos já citados conseguiu fazer o que esses três próximos atletas conseguiram: passar das 100 jardas recebidas (algo que não muito comum entre os TEs). O principal destaque da rodada entre os jogadores da posição foi Travis Kelce (Kansas City Chiefs), o atleta que apareceu para a NFL em 2014 e tem tudo para explodir de vez nesta temporada. Ano passado, sem um grande WR na franquia, Kelce liderou o time em jardas recebidas; com a chegada de Jeremy Maclin alguns imaginavam que o TE deixaria de receber tantos passes, mas não foi nada disso que vimos na primeira rodada. Com as suas 6 recepções para 106 jardas e 2 TDs, ele foi líder do time entre os recebedores e ajudou o Chiefs a abrir uma grande vantagem nos dois primeiros quartos do jogo, o que deu tranquilidade para Alex Smith segurar o placar e levar a vitória para a casa. Outro destaque da rodada foi Tyler Eifert (Cincinnati Bengals), um atleta que perdeu praticamente toda a temporada no ano passado e que não era muito falado antes da primeira rodada. Mesmo com o WR A.J. Green em campo, o TE foi líder da equipe em recepções (9), jardas recebidas (104) e TDs (2) e contribuiu bastante para a vitória tranquila do Bengals sobre o Raiders. O terceiro atleta da posição que conseguiu passar das 100 jardas recebidas nessa rodada foi Austin Seferian-Jenkins (Tampa Bay Buccaneers), jogador pouquíssimo badalado, mas que pode se tornar peça importante do ataque da equipe de Tampa. Sem poder contar com o WR Mike Evans, grande destaque em 2014, a estreia oficial do QB Jameis Winston na NFL não foi lá grande coisa, porém, se não fosse Seferian-Jenkins seria ainda pior. O TE foi o líder do time entre os recebedores (5 recepções para 110 jardas) e foi o responsável por anotar os dois TDs do time na partida, o que não evitou o massacre do Tennessee Titans. Selecionado no Draft de 2014, o TE do Buccaneers apareceu bem no fim da temporada passada, se ele atuar do mesmo jeito que atuou na primeira semana de 2015 será difícil pará-lo.

Para fechar a lista dos TEs que foram destaques na primeira rodada, começamos por Jared Cook (St. Louis Rams), desde que chegou ao Rams em 2013, o TE sempre foi bastante acionado, um dos motivos é a falta de WRs de confiança por lá. Mesmo com Nick Foles, novo QB da franquia, Cook não perdeu o posto de principal recebedor do time; foram 5 recepções para 85 jardas, líder da equipe nos dois quesitos, e atuação importante para ajudar o Rams a vencer de forma sensacional o poderoso Seattle Seahawks. Uma das surpresas da semana inicial foi Darren Fells (Arizona Cardinals), jogador que está na equipe desde 2014 e tenta resolver os problemas na posição. O TE teve 4 recepções, 82 jardas recebidas e 1 TD e foi decisivo na vitória sobre o New Orleans Saints. Se não fosse Jordan Cameron (Miami Dolphins), dificilmente a equipe de Miami teria vencido a partida contra o Washington Redskins. Com 73 jardas recebidas – em 4 recepções – o atleta foi o líder do time no quesito e também se mostrou uma ótima opção para o QB Ryan Tannehill em situações apertadas. O último nome, mas não por isso menos importante, é Martellus Bennett (Chicago Bears). Com a saída do WR Brandon Marshall e sem contar com o calouro WR Kevin White, o TE assumiu o mesmo grau de importância que teve em 2014 e foi o responsável pelo único TD aéreo do Bears no jogo complicado contra o Green Bay Packers, além de ter somado 5 recepções para 55 jardas. Ainda temos Jimmy Graham (Seattle Seahawks) Delanie Walker (Tennessee Titans), que foram bem, mas podem melhorar suas atuações, Greg Olsen (Carolina Panthers) e Coby Fleener (Indianapolis Colts), que não tiveram boa exibições, mas têm potencial para serem importantes, e Antonio Gates (San Diego Chargers), que está suspenso por quatro jogos e voltará sendo o principal alvo da equipe.

rob-gronkowski-spike-TE-liga-dos-32

Com tantos jogadores da posição se destacando nessa primeira semana, a pergunta que pode ter ficado na cabeça de alguns foi: “Será que veremos cada vez mais TEs sendo os principais alvos das equipes?” e a resposta para essa pergunta é positiva. Antigamente, quando pensávamos em TEs, era comum relacionarmos os jogadores da posição a atletas responsáveis por bloqueios para a corrida e proteção ao QB, quase um jogador de linha ofensiva. O que acontece nos últimos anos, talvez por influência da lenda Tony Gonzalez e, atualmente, de Rob Gronkowski, é que os TEs se transformaram em novas ameaças no ataque aéreo das franquias e todos querem ter esse jogador capaz de mudar uma partida. Como isso é uma nova tendência, ainda são poucos os que conseguem ser ótimos bloqueando e recebendo passes, porém, com tantos TEs jovens e talentosos, pelo que pudemos ver na primeira rodada da temporada regular de 2015 e pelo que conseguimos observar em anos anteriores, se os atletas da posição mantiverem o alto nível de atuação, os TEs serão as próximas grandes estrelas da NFL daqui a não muito tempo.

Compartilhe

Comments are closed.