quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Compartilhe

ncaa-playoff-semifinal

Quatro equipes, três jogos e apenas um objetivo: ser o campeão nacional. Após 15 semanas da temporada regular, é chegada a hora dos playoffs da CFB. Clemson, Alabama, Michigan State e Oklahoma fizeram por onde ficar entre os semifinalistas e iniciam agora a busca pelo troféu máximo da NCAA.

Orange Bowl: #1 Clemson “Tigers” (13-0) x #4 Oklahoma “Sooners” (11-1) – 19:00 (ESPN)

orange bowl

Criação: 1935
Local: Sun Life Stadium, Miami (Flórida)
Mais aparições: Oklahoma (18)
Mais vitórias: Oklahoma (12)
Último Bowl: Georgia Tech 49 x 34 Mississipi State

Por ironia do destino, o Orange Bowl deste ano reunirá os mesmos times que disputaram o Russell Athletic Bowl do ano passado, e as lembranças não são boas para os torcedores de Oklahoma, já que Clemson triunfou sem dificuldades por 40 a 6. Entretanto, em apenas um ano, ambos os times mudaram bastante, começando pela posição de QB, os dois pilares de suas respectivas equipes não se enfrentaram no ano passado. Baker Mayfield (Oklahoma) ficou de fora cumprindo as regras de transferência da NCAA, enquanto DeShaun Watson (Clemson) estava machucado. Agora, dois dos melhores QBs universitários se enfrentarão em um confronto que promete pegar fogo do começo ao fim.

Com estatísticas impressionantes, o ataque de Oklahoma foi um rolo compressor em 2015. Apoiado principalmente nos seus três pilares ofensivos – QB Baker Mayfield, RB Samaje Perine e o WR Sterling Shepard -, o setor é uma ameaça tanto no jogo aéreo quanto no terrestre. Além desses nomes, o calouro RB Joe Mixon e o WR Dede Westbrook dinamizam ainda mais o ataque.

A defesa do time também é digna de respeito e, coincidentemente, também possui três jogadores principais: DL Charles Tapper, LB Eric Striker e CB Zack Sanchez. O setor é o 6º da FBS com mais sacks (38) e o 8º com mais interceptações, mostrando capacidade de pressionar o QB adversário e produzir turnovers.

Eleito o técnico do ano pela Associated Press, Dabo Swinney foi bastante enfático quando disse que seu time precisará jogar seus quatro melhores quartos do ano e que, provavelmente, o Sooners vem jogando o melhor futebol americano do país. Apesar do tom cauteloso, Swinney sabe da capacidade do seu time e não é a toa que foram o melhor time do College durante a temporada regular.

Com estrelas em ambos os setores, Clemson tem um time bastante equilibrado e perigoso. No ataque, DeShaun Watson, o finalista do Heisman, vem de um ótimo ano e conseguiu excelentes números apesar de possuir um grupo bastante inexperiente de recebedores. Além de demonstrar precisão passando a bola, Watson também é capaz de torturar defesas correndo com a bola. A volta do WR Artavis Scott, que passou por um procedimento no joelho, também será um belo trunfo para o Tigers.

Na defesa, o All-American DE Shaq Lawson é o principal nome, apesar de contar com outros ótimos nomes, como o CB Mackensie Alexander e o DT D.J. Reader. A defesa de Clemson mostrou durante o ano todo a habilidade de chegar ao QB adversário. Foram 38 sacks no ano, mesmo número do Sooners, sendo Lawson responsável por 9.5 deles. Ao mesmo tempo, foram 14 interceptações forçadas pelo setor, além de 9 fumbles recuperados. Se você gosta de jogos recheados de playmakers, não pode perder esse confronto.

Jogadores para observar:

QB DeShaun Watson (CLE)
RB Wayne Gallman (CLE)
WR Artavis Scott (CLE)
TE Jordan Leggett (CLE)
DE Shaq Lawson (CLE)
DT D.J. Reader (CLE)
LB BJ Goodson (CLE)
CB Mackensie Alexander (CLE)
CB Cordrea Tankersley (CLE)
S Jayron Kearse (CLE)

QB Baker Mayfield (OU)
RB Samaje Perine (OU)
WR Sterling Shephard (OU)
DE Charles Tapper (OU)
ILB Dominique Alexander (OU)
OLB Eric Striker (OU)
CB Zack Sanchez (OU)

Cotton Bowl: #2 Alabama “Crimson Tide” (12-1) x #3 Michigan State “Spartans” (12-1) – 23:00 (ESPN+)

ncaaf-cotton-bowl-michigan-state-alabama-

Criação: 1937
Local: AT&T Stadium, Arlington (Texas)
Mais aparições: Texas (22)
Mais vitórias: Texas (11)
Último Bowl: Michigan State 42 x 41 Baylor

Rivais esse ano, as carreiras dos técnicos Nick Saban e Mark Dantonio sempre estiveram entrelaçadas. Quando Saban era treinador de Michigan State, Dantonio era seu assistente. Quando assumiu o comando e teve sua primeira boa temporada com o Spartans em 2010, Dantonio viu seu promissor ano acabar com uma humilhante derrota para Alabama de Saban por 49 a 7 no Capital One Bowl. Agora em 2015, “aprendiz” e “mentor” se encontram novamente, mas dessa vez em uma semifinal da CFB com o sonho de disputar o título nacional em Arizona, que seria o primeiro de Dantonio e o 5º de Saban.

Ambos os times chegam fortes para o jogo com o mesmo recorde 12 vitórias e apenas 1 derrota. Tanto Michigan State quanto Alabama foram campeões de suas respectivas conferências. O Spartans bateu Iowa e ficou com o título da Big Ten, enquanto o Crimson Tide venceu Flórida e foi campeão da SEC.

Apesar de similaridades nas campanhas, dentro de campo os times são bastante diferentes. Começando pelo ataque, Alabama se apoia bastante no seu jogo terrestre. A combinação entre o RB Derrick Henry, o vencedor do Heisman Trophy e a linha ofensiva vencedora do prêmio de melhor do ano é impressionante. Já Michigan State aposta mais em seu jogo aéreo, mesmo também possuindo um jogo corrido bem produtivo. Connor Cook é um dos melhores QBs do país e é cotado como possível escolha de primeira rodada no próximo Draft. A explosão do WR Aaron Burbridge em 2015 também foi crucial para o bom ano da equipe e do QB. Junto com o jogo aéreo, o Spartans viu seus RBs acumularem 22 TDs e 1641 jardas terrestres no ano.

Defensivamente, a diferença é maior. Michigan State possui uma boa defesa, que acumula 35 sacks no ano e tem média de 343 jardas cedidas por jogo (229,8 aéreas e 113,1 terrestres), mas a defesa de Alabama é muito superior. Chega a ser assombroso o domínio defensiva da equipe, principalmente do seu front seven. Crimson Tide figura no TOP 10 de quase todas as estatísticas defensivas e é a que possui mais sacks, cede menos jardas terrestres e a segunda que cede menos jardas totais. Outro domínio defensivo, dessa vez contra Cook e companhia, será crucial para que Alabama saia com a vitória.

Jogadores para observar:

QB Jake Coker (ALA)
RB Derrick Henry (ALA)
RB Kenyan Drake (ALA)
WR Calvin Ridley (ALA)
TE O.J. Howard (ALA)
OT Cam Robinson (ALA)
C Ryan Kelly (ALA)
DL Jarran Reed (ALA)
DL A’Shawn Robinson (ALA)
DL Jonathan Allen (ALA)
LB Reggie Raggland (ALA)
CB Minkah Fitzpatrick (ALA)
CB Cyrus Jones (ALA)
S Eddie Jackson (ALA)

QB Connor Cook (Michigan State)
RB LJ Scott (Michigan State)
WR Aaron Burbridge (Michigan State)
OT Jack Conklin (Michigan State)
DE Shilique Calhoun (Michigan State)
NT Malik McDowell (Michigan State)
LB Riley Bullough (Michigan State)

Compartilhe

Comments are closed.