sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Compartilhe

O jogo mais interessante da Semana 15 da NFL aconteceu na noite de quinta-feira: o Los Angeles Chargers foi a Kansas City e deu uma grande demonstração de força ao derrotar o Chiefs em pleno Arrowhead. As duas equipes agora têm a mesma campanha, com 11-3, e disputarão intensamente o título da AFC Oeste nas duas rodadas que faltam.

Essa partida expôs a ineficiência defensiva do Kansas City Chiefs e mostrou que talvez só a mágica de Patrick Mahomes não seja suficiente para conquistar um Lombardi. Mesmo sem estar em sua melhor noite, Phillip Rivers conseguiu conduzir o Chargers à vitória fora de casa. A seguir, analisaremos alguns dos principais lances desse grande jogo!

Leia Mais: Rastreando Draftados – Darnold vai bem contra o Texans

Leia Mais: O colapso do Carolina Panthers

Ataque do Chargers x defesa do Chiefs

Durante toda a temporada, a defesa do Kansas City Chiefs foi vista com grande preocupação. Ela tem a capacidade de pressionar quarterbacks adversários, mas não é capaz nem de parar o jogo corrido, nem de fazer grandes jogadas na secundária. Nessa partida, não foi diferente: Phillip Rivers errou mais do que costuma, mas ainda completou a maior parte de seus lançamentos e passou das 300 jardas, enquanto o Chargers somou também 5 jardas por carregada mesmo sem Melvin Gordon e Austin Ekeler.

Logo na segunda jogada da partida, o Chargers alinhou sem nenhum running back, com um backfield vazio, e o Chiefs respondeu com Cover 0, mandando seis homens atrás de Rivers e deixando cinco em marcação homem a homem na secundária. O lance acabou em interceptação mais por demérito do quarterback, que fez um passe muito curto e permitiu a recuperação de um marcador que estava batido, que por mérito da defesa. Um lançamento de qualidade tinha enormes chances de resultar em um touchdown.

Como dito anteriormente, a única coisa que a defesa do Chiefs faz consistentemente bem é pressionar quarterbacks. A temporada excepcional de Chris Jones é um grande fator para isso, mas também há outros pass rushers de talento como Justin Houston. Nessa partida, foram cinco sacks, nada menos do que 2,5 partindo de Jones.

No lance abaixo, há um colapso completo no pocket do Chargers, mas o fator principal para isso é Chris Jones destruindo Michael Schofield – como havia feito por toda a partida. É isso que causa toda a insalubridade para Rivers e faz com que toda a linha ofensiva se desmanche, permitindo que Justin Houston chegue para dividir o sack com Jones.

Rivers errou outros lançamentos no decorrer do jogo, mas pegou fogo no quarto período. Para piorar, a defesa de Kansas City foi extremamente conservadora precisando segurar a vantagem. Chamou Cover 2 under man repetidamente, deixando safeties muito recuados e marcações homem a homem que davam vantagem aos atletas do Chargers. Veja nessa quarta para 7, lance fundamental da partida, como a última linha da defesa está quase na endzone, o que deixa um espaço enorme na metade do campo para Travis Benjamin receber o passe e correr após bater a marcação de Kendall Fuller:

O lance derradeiro da partida foi a conversão de dois pontos que foi arriscada pelo Chargers de forma muito ousada. Ela foi convertida de forma muito tranquila, com Mike Williams sozinho no fundo da endzone. Isso aconteceu por causa de uma falha de comunicação da defesa: dois recebedores do lado direito correm rotas cruzadas e seus marcadores batem cabeça: Orlando Scandrick achou que ambos deveriam se manter nos seus jogadores originais, enquanto Kendall Fuller acreditou que deveriam seguir na linha que estavam, passando assim os wide receivers para o outro cornerback. O resultado foi o que se vê no vídeo: dois marcando um, nenhum marcando outro.

A falha no lance é de Scandrick, que deveria ter se mantido na sua linha e ficado em Williams. Mas essa quantidade de falhas de marcação e de comunicação mostra a fragilidade dessa defesa, que certamente terá muitos problemas nos playoffs. O Chargers tem uma grande quantidade de talento ofensivo e precisa apenas melhorar a proteção a Rivers para sonhar com vida mais longa na pós-temporada.

Ataque do Chiefs x defesa do Chargers

O ataque do Kansas City Chiefs é um dos assuntos mais comentados da temporada. Com toda a genialidade de Andy Reid no comando, a unidade ganhou novas dimensões graças á mágica que é feita pelo quarterback Patrick Mahomes. Em praticamente todas as partidas, o segundo-anista tira coelhos inesperados da cartola.

Nesse confronto contra o Chargers, o primeiro touchdown de Kansas City foi justamente um desses coelhos. Após o desenho inicial da jogada falhar e ninguém ficar aberto, Mahomes caminha em direção à sideline com toda a paciência do mundo, mas não parece que vai encontrar alguma coisa para que consiga um lançamento. Mas essa paciência rende frutos com o baile que Demarcus Robinson dá em Jahleel Addae no fundo da endzone. Finalmente com alguém aberto, o quarterback consegue fazer a sua mágica.

Outro jogador que tem dado o que falar é Derwin James, safety calouro do Los Angeles Chargers. Impacto imediato na defesa, ele traz uma dimensão extra à secundária da equipe. No lance abaixo, ele é responsável pela marcação do super veloz Tyreek Hill. Observe na lateral direita como James consegue ficar passo a passo com o wide receiver. Quantos safeties possuem essa capacidade? Mahomes faz o checkdown para Travis Kelce e mesmo assim o resultado é first down, o que mostra o universo de possibilidades do ataque do Chiefs.

Não é só de acertos que vive Patrick Mahomes. Nos últimos jogos, seu número de turnovers cometido cresceu bastante. Nessa partida, não aconteceu nenhum, mas não por falta de tentativa. Nessa jogada, o Chargers usa uma espécie de Cover 4 e Tyreek Hill atravessa a zona na metade do campo em direção aos safeties. Só que ele é extremamente bem marcado e o quarterback força o lançamento mesmo assim. Por sorte, Jahleel Addar dropa a interceptação.

O Los Angeles Chargers não conseguiu tanta pressão nessa partida, mas derrubou Mahomes no finalzinho, quando mais importava para que ainda houvesse chance de triunfo. O pocket aqui é quebrado por Melvin Ingram, que vence com tranquilidade a Andrew Wyllie. Mitchell Schwartz até tenta segurar dois jogadores, mas não consegue e o caos está feito. O quarterback não tem para onde fugir e a defesa visitante faz seu trabalho.

Mahomes tem feito um sem número de coisas boas em seu primeiro ano como titular e o ataque do Chiefs é perigosíssimo. Ainda assim, defesas com a qualidade do Los Angeles Chargers têm conseguido pará-lo o bastante para ter chances de vencer. Nesse momento, aliás, o Chargers parece um dos times mais completos e com condições de ir longe na pós-temporada.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.